Covilhã


O Departamento do Património, Cultura e Turismo da Diocese da Guarda promoveu I Fórum Património, Cultura e Turismo, no Museu de Arte Sacra da Covilhã, no dia 2 de Fevereiro. A iniciativa começou com uma intervenção do Bispo da Diocese da Guarda, D. Manuel Felício, seguindo-se a apresentação do Departamento pela sua Coordenadora, Dulce Helena Borges, com uma comunicação intitulada “Departamento de Património Cultura e Turismo da Diocese da Guarda: objectivos e desafios”.
Dulce Borges salientou que no plano de trabalho desenhado, foram definidos como objectivos “a protecção, conservação e divulgação do património cultural de matriz religiosa. Nunca será de mais realçar a importância do património, que, como é sabido, é constituído pelo conjunto de bens que, pela sua importância histórico-cultural, valor estético, artístico e documental, são representativos de valor e unicidade e, como tal, devem ser objecto da nossa maior atenção”. Defendeu a conclusão do inventário do património móvel, imóvel e imaterial da Diocese da Guarda, “tarefa que há anos tem vindo a ser realizada e que urge concluir, uma vez que este é o suporte fundamental para o conhecimento e estudo dos testemunhos que recebemos, os quais, obrigatoriamente, devemos salvaguardar, visando, também, a sua divulgação junto da população em geral e o estudo científico e académico do mesmo”.
Dulce Borges acrescentou que “pela sua relevância, pretende-se que, na realização do inventário, sejam adoptados processos para a sua elaboração numa plataforma digital (base de dados operacional para controlo e monitorização), permitindo implementar diferentes filtros de consulta”, acentuando ainda que este inventário “é uma ferramenta de salvaguarda, estudo e divulgação do património”.
Neste Fórum também foram abordados os temas: “Comunicar (n)a Diocese”, por Helder Sequeira; “Entre o passado e o futuro: o lugar do Património na Igreja de hoje”, comunicação de Carlos Caetano; “Porquê um Regulamento para a gestão e protecção do património e bens culturais da Diocese da Guarda”, por Aires de Almeida, e “Itinerários turísticos e património religioso. Desafios de valorização territorial”, a apresentar por Gonçalo Fernandes, e “Salvaguardar e valorizar os Bens Culturais da Igreja: estratégias e dinâmicas na Diocese de Viseu” por Fátima Eusébio (Diretora do Secretariado Nacional dos Bens Culturais da Igreja).
Depois da Guarda e Covilhã, O Departamento do Património, Cultura e Turismo da Diocese da Guarda tem agendado novo Fórum, para o dia 16 de Fevereiro, em Seia.