Maceira


O café “O Cantinho” é o único que existe na aldeia de Maceira, no concelho de Fornos de Algodres. A terra já chegou a ter quatro cafés a funcionar, mas com a diminuição da população, três deles fecharam as portas e apenas resta o de Lurdes Albuquerque, ex-emigrante nos Estados Unidos da América (EUA). A proprietária disse ao Jornal A GUARDA que esteve emigrada nos EUA entre 1985 e 2002. Quando regressou à aldeia reconstruiu uma casa e abriu logo o café. “Naquela altura eram quatro e hoje estou sozinha”, lembra. Lurdes Albuquerque queixa-se do fraco negócio porque a aldeia “tem pouca gente e as pessoas já são de idade”. E acrescentou: “Quando havia quatro cafés, tinha mais clientela do que agora. Estou sozinha e como não tenho movimento, não dou trabalho a mais ninguém, porque se o movimento fosse maior tinha de empregar outra pessoa para me ajudar”. O café “O Cantinho” é frequentado diariamente pelas pessoas da terra, pois segundo a comerciante, “de fora poucos aqui vêm, porque os clientes são os da terra, não temos outros”. O movimento no estabelecimento é maior no mês de Agosto e até ao dia 15 de Setembro. “Depois disso parou. Na Páscoa, no Natal e na Passagem de Ano ainda se nota um bocadinho de movimento, por causa dos emigrantes e de algumas pessoas que estão fora e regressam nessa altura a Maceira”, adiantou a mulher. Devido ao fraco negócio, Lurdes Albuquerque contou que “no Inverno custa um bocado manter o negócio por causa dos impostos e do pagamento da água e da luz”. “Se pagasse renda já tinha fechado”, remata.