Fornos de Algodres


Fornos de Algodres é o município com gestão municipal da área de intervenção da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela que apresenta a percentagem mais baixa de perdas reais de água e de água não facturada. A conclusão é da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos com base nos documentos finais da de caracterização e evolução do sector, referenciada a 31 de Dezembro de 2020, incluindo a avaliação da qualidade do serviço prestado aos utilizadores, benchmarking do desempenho das entidades gestoras, monitorização legal e contratual e enquadramento económico-financeiro do sector.
Em 2020 a água não facturada do Município de Fornos de Algodres foi de 33,6%, quando em 2019 tinha sido de 41,5%. Em comparação com o ano de referência, 2017, conclui-se que houve uma redução de 17,5% de água não facturada. Uma recuperação de, aproximadamente, 58.941 euros, em perdas económicas. Já o indicador de perdas reais da água em 2020, apresenta uma perda de 72 l/ramal.ano, uma diminuição de 48,5%, face ao ano de referência (2017).
A autarquia presidida por Manuel Fonseca refere que “apesar de ser ainda um valor a melhorar, este indicador reflecte as políticas ambientais, nomeadamente as campanhas do uso eficiente da água, a detecção de fugas na rede pública, célere resposta a rupturas de água, a detecção de ligações fraudulentas ou, por exemplo, a monitorização e facturação de toda a água que é consumida nas infra-estruturas de responsabilidade do Município de Fornos de Algodres”.
De acordo com a autarquia “em Fornos de Algodres, os valores dos indicadores apresentam uma variação positiva ao longo dos anos, tendo, em 2020, atingido os valores mais baixo de sempre”. E acrescenta: “Este resultado demonstra o trabalho realizado pelo Município de Fornos de Algodres, no uso eficiente da água e, reflecte, as políticas estratégicas no sector ambiental”.
A Câmara Municipal de Fornos de Algodres tem em curso projectos, inseridos na Estratégia Municipal Ambiental 2022-2025, para continuar a linha descendente da água não facturada. A execução dos projectos previstos vão contribuir directamente para garantir o acesso à saúde de qualidade e promover o bem-estar para todos, em todas as idades; garantir a disponibilidade e a gestão sustentável da água potável e do saneamento para todos; e construir infra-estruturas resilientes, promover a industrialização e fomentar a inovação.