Figueira de Castelo Rodrigo


Em 2023 a Aldeia Histórica de Castelo Rodrigo, distinguida pela Organização Mundial de Turismo (UNWTO) com o prémio Best Tourism Villages, e um dos ex-libris do concelho de Figueira de Castelo Rodrigo, recebeu 80 711 visitantes, mais 6% do que no ano de 2022.
De acordo com os dados avançados pela autarquia de Figueira de Castelo Rodrigo, o número de turistas estrangeiros continua a ultrapassar o número de turistas nacionais. Em 2022, Castelo Rodrigo recebeu 27 026 portugueses e 48 743 estrangeiros e em 2023 o número de visitantes portugueses subiu para 28 179 e o número de estrangeiros para 52 532. Os meses de Abril e Agosto foram os que registaram mais afluência de turistas a esta Aldeia Histórica.
Os 18 271 turistas provenientes dos Estados Unidos da América continuam a destacar-se, no que diz respeito aos visitantes estrangeiros. O Município presidido por Carlos Condesso dá conta de que “este aumento deve-se, em grande parte, ao turismo fluvial no rio Douro que durante o período de navegabilidade, chegam ao Cais Turístico e Fluvial de Barca D’Alva, uma das portas de entrada no concelho”. Seguem-se os turistas ingleses (13 648), os espanhóis (6 193) e os alemães (6 036). Mas por Castelo Rodrigo também passam visitantes de outras nacionalidades como franceses, suíços, belgas, austríacos, brasileiros, israelitas, noruegueses, holandeses, canadianos, finlandeses e italianos.
“Estes dados são relativos apenas aos turistas que são registados no Posto de Turismo, sendo o número de visitantes bastante superior, tendo em conta a dinâmica que diariamente se verifica na Aldeia Histórica”, explica a autarquia.
Carlos Condesso considera que o aumento que se tem verificado, ano após ano, “deve-se à beleza ímpar e à imponência do seu património histórico, ao comércio tradicional existente dentro das muralhas, que comercializa produtos regionais de excelência, à autenticidade e há vida que ainda existe na aldeia e às gentes hospitaleiras, que cada uma delas é uma guia turística”. Carlos Condesso acrescenta “que os visitantes procuram novas experiências, num património único que privilegia o contacto com o património e a natureza, contrastando com o betão citadino, onde reina o sossego, onde as pedras revelam segredos”.
O autarca adianta que “estes resultados só demonstram que o trabalho que o Município tem vindo a realizar em prol da Aldeia Histórica de Castelo Rodrigo e no concelho, têm conduzido a resultados positivos, não só para a aldeia, mas também para a economia local”. Referindo que “o envolvimento da comunidade local e a qualidade da oferta dos agentes que aí operam também contribuíram, sem qualquer dúvida, para estes números”.
A aposta na Recriação Histórica da Batalha de Castelo Rodrigo, bem como no Turismo Literário, com iniciativas como a Rota Turística Literária ‘Viagem do Elefante’ e o Off Road Caminho de Salomão (que termina em Castelo Rodrigo), o melhoramento de acessos pedonais e rodoviários, a construção do Eco Parque, a substituição da iluminação cénica para a tecnologia LED, contribuindo para reduzir a pegada ecológica, trazendo outro brilho a Castelo Rodrigo, são exemplos da valorização desta Aldeia Histórica.