Empresa obteve financiamento de 122 milhões para dois parques em Portugal

Um novo parque eólico com capacidade instalada de 92MW, vai nascer nos concelhos de Pinhel e Guarda. A informação foi avançada pela EDP Renováveis (EDPR), que conseguiu o financiamento de 112 milhões de euros, do Banco Europeu de Investimento (BEI) e do banco BPI, para a construção e operação de dois parques eólicos de 125 megawatts (MW) em Portugal.“O Banco Europeu de Investimento (BEI) vai conceder 65 milhões de euros à EDP Renováveis (EDPR) e o Banco BPI 47 milhões de euros, para financiar a construção e operação de dois parques eólicos em Portugal, nos distritos de Coimbra e Guarda, com uma capacidade total instalada de 125 MW”, refere o comunicado.Os parques eólicos de média dimensão, que serão desenvolvidos, construídos e operados pela EDPR, deverão estar operacionais até ao final deste ano.Apoiado pelo BEI, a EDPR vai construir e explorar dois parques eólicos de média escala: Tocha II, com uma capacidade de 33 MW, e Sincelo, com uma capacidade de 92 MW. O parque eólico Tocha II situar-se-á a oeste, próximo da costa atlântica, no município de Cantanhede, distrito de Coimbra, e o parque eólico Sincelo situar-se-á nos municípios de Pinhel e Guarda. Este projecto terá também um efeito directo e positivo no emprego, uma vez que se espera que crie aproximadamente 560 postos temporários durante a fase de construção. Quando estiverem em operação, os dois parques eólicos contribuirão para que Portugal cumpra as metas do Pacto Europeu para o Clima, que prevê uma percentagem de 47 % na utilização de fontes renováveis no consumo final bruto de energia até 2030, bem como a meta vinculativa da Comissão Europeia de ter pelo menos 32 % do consumo final de energia proveniente de fontes renováveis até 2030.O banco da UE está a apoiar esta operação através de um empréstimo à energia verde, cujas características estão totalmente de acordo com os requisitos estabelecidos no programa Obrigações de Responsabilidade Ambiental. Consequentemente, é provável que esta operação seja alocada ao respetivo portefólio de operações de empréstimo financiadas pela emissão destas obrigações.“Na EDP Renováveis, temos o prazer de contar com o apoio do Banco Europeu de Investimento (BEI) e do Banco BPI para o desenvolvimento de novos projectos que contribuirão para que Portugal atinja as metas do Plano Energético e Climático e as metas da Comissão Europeia, e também para a criação de mais de meio milhar de postos de trabalho. Este projeto reforça o nosso compromisso para com o sector português das energias renováveis e a melhoria da qualidade de vida das gerações atuais e futuras. Reforça também o nosso papel-chave enquanto líder mundial no sector das energias renováveis”, disse o CEO interino da EDP Renováveis, Rui Teixeira.