Direcção-Geral da Educação quer que observação seja feita em segurança


A Direcção-Geral da Educação, em parceria com o Observatório Astronómico de Lisboa e com a colaboração da Direcção-Geral da Saúde, enviou uma informação pormenorizada às escolas sobre o eclipse do Sol que ocorre esta sexta-feira, dia 20 de Março, ao princípio da manhã.
O Ministério incentiva as escolas a promoverem a observação em segurança do eclipse, de acordo com as condições materiais e os recursos humanos que reúnam, pois trata-se de um fenómeno não frequente e que permite despertar o interesse por vários aspectos científicos importantes, tais como a órbita da Terra e da Lua, as dimensões relativas do Sol, da Lua e da Terra, as radiações solares e outros temas.
A observação do Sol requer procedimentos de segurança correctos que a não serem observados terão como consequência graves riscos para a visão e, no limite, a cegueira.
A informação refere que o Sol nunca deve ser observado directamente sem filtros solares oculares (vulgo “óculos do eclipse”). Não deve ser observado através de óculos escuros, vidros negros de fumo, películas ou negativos fotográficos e radiografias. Por outro lado, a observação contínua com óculos de protecção especial nunca deve exceder períodos de 30 segundos, fazendo sempre intervalos de 3 minutos de descanso.
O eclipse do Sol será visível parcialmente em Portugal e terá o pico máximo cerca das 9.00 horas. A percentagem de obscurecimento (fracção coberta) do disco solar atingirá 63% a 74% no continente e atingindo entre 70% a 78% nos Açores. O eclipse começa uma hora antes do máximo e termina uma hora depois deste.