Celorico da Beira - Estrelacoop - Cooperativa dos Produtores de Queijo Serra da Estrela


A seca que está a assolar o país deverá reduzir este ano a produção de queijo Serra da Estrela em mais de 50% face ao ano anterior, vaticina o presidente da direcção da Estrelacoop - Cooperativa dos Produtores de Queijo Serra da Estrela, com sede em Celorico da Beira. Júlio Ambrósio, presidente da Estrelacoop, entidade gestora da Denominação de Origem Protegida (DOP) do queijo Serra da Estrela, estima que a diferença na produção deste ano relativamente a 2016 deverá ser “muito elevadíssima”. “Se isto assim continuar, a quebra pode ir a mais de 50%”, disse o responsável. E acrescentou: “Com isto que estamos a atravessar, é muito provável que as quantidades de produção serão muito, muito, abaixo do ano anterior”. O dirigente da cooperativa que representa os produtores certificados da região demarcada de produção do queijo Serra da Estrela adiantou que os cerca de 50 associados produzem anualmente mais de 50 toneladas de queijo Serra da Estrela, mas este ano, “se assim continuarmos, não chegamos às 30”. A Região Demarcada de Produção do queijo Serra da Estrela abrange 18 municípios, como Guarda, Fornos de Algodres, Celorico da Beira, Gouveia, Manteigas, Seia, Trancoso, Oliveira do Hospital, Nelas, Penalva do Castelo, Mangualde e Covilhã. De acordo com Júlio Ambrósio, a seca está a preocupar os produtores de queijo da região, que se queixam de não terem alimento para os animais. “Neste momento, há produtores que querem comprar comida para o gado, nomeadamente em Espanha”, e não conseguem”, disse, acrescentando que “alguma coisa que há à venda é muito cara”. Júlio Ambrósio denunciou que a água também escasseia e, “em muitos lados”, os proprietários dos rebanhos “têm de percorrer muitos quilómetros para irem buscar a água para alimentarem os animais”.
De acordo com o dirigente associativo, a direcção da Estrelacoop está em contacto permanente com os produtores da região da Serra da Estrela, mas lamenta que a instituição ainda não tenha sido contactada pelo Ministério da Agricultura. “Se nós temos o melhor produto do mundo - o queijo Serra da Estrela - e ninguém olha para nós, é de lamentar”, desabafa, adiantando que a Cooperativa reclama a atribuição de subsídios públicos para as explorações pecuárias ultrapassarem o problema criado pela seca extrema que também se verifica na região. “Com a idade que tenho, nunca me lembro de atravessar uma crise como a que estamos a atravessar com esta seca”, concluiu Júlio Ambrósio.