Açores


O padre Carlos Helena referiu ao Jornal A GUARDA que a invocação de Nossa Senhora do Açor “é única no Mundo”. “Não existe em mais lado nenhum. E, se houver mais alguma, é repetição, mas não tenho noção de existir outra. Há uma lenda que diz que a Ilha de Santa Maria, nos Açores, foi descoberta pelos marinheiros após andarem um mês perdidos e invocaram Nossa Senhora do Açor, que era uma das invocações do país, à época, e foi aí que descobriram a Ilha de Santa Maria. Por isso, há uma grande ligação possivelmente com a referência aos Açores, porque esta, no século XV, era uma festa de romaria nacional”, disse. A Festa de Nossa Senhora do Açor “é móvel e é sempre a seguir ao Espírito Santo. Celebramos o Espírito Santo no domingo e, na segunda-feira, a de Nossa Senhora”. Segundo o pároco, a festa anual “junta centenas de pessoas. A igreja está sempre cheia”.
A festa conta com o apoio da União de Freguesias de Açores e Velosa e do Município de Celorico da Beira. Para além da mordomia religiosa existe uma civil composta por cinco homens que colaboram com a Paróquia. O mordomo Valter Silva disse que a comissão organiza “o lado lúdico” dos festejos que anualmente chamam “muita gente” até à aldeia. Referiu que as artes decorativas que marcam a festa são “uma forma de trazer mais gente e de divulgar a terra no exterior”.