Prados


A época da produção de castanha está este ano atrasada em relação ao ano de 2015 devido ao Verão prolongado. “Ainda está muito serôdia, porque não teve criação, devido ao tempo que foi muito quente”, disse ao Jornal A GUARDA António Nunes, de 88 anos, um dos maiores produtores de castanha da Freguesia de Prados, no concelho de Celorico da Beira. O agricultor contou que os castanheiros “estão muito carregados com ouriços, mas só ainda começou a cair castanha da martaínha e hoje (quinta-feira, dia 20 de Outubro) só apanhei dois quilos delas. Este ano são mais miúdas do que as do ano passado”. António Nunes possui 375 castanheiros que produzem castanhas das variedades martaínha, longal e judia. “A maior produção é de martaínha e de longal”, disse. “Em 2015 vendi 150 sacos de 20 quilos e este ano não sei como vai ser. O ano passado também não foi muito bom porque o preço veio para metade. Vendi 35 sacos a 2 euros o quilo, 50 sacos a 1,5 euros o quilo para Setúbal e 30 sacos para a Lousã a 1,5 euros o quilo e vendi as últimas a um senhor de Videmonte a 1,2 euros o quilo”, lembrou. O agricultor disse ainda que “em primeiro” apanhava as castanhas com a mulher mas agora, devido à idade, “quando elas começam a cair muito recorro a 5 pessoas, a quem pago 4 euros à hora, dou comida e de beber”.