Guarda

O Grupo Municipal do BE na Assembleia Municipal da Guarda lamentou e contestou o modelo escolhido pelo executivo camarário para assinalar o 47º aniversário do “25 de Abril”.Em comunicado, este Grupo Municipal lembra que “desde que o PSD lidera o executivo Guardense (2013-2017; 2017-2021), só foi permitido por duas vezes, que todos os partidos com assento parlamentar tivessem o mesmo direito a discursar durante a sessão solene”.Este ano “o executivo optou por escolher quem falava e quem não falava”, uma decisão que para o BE “relembra os valores antidemocráticos do passado, quando devíamos estar todos a comemorar os valores de Abril, onde a diversidade política deve ser respeitada, garantindo a todos a mesma igualdade na participação política”. Como forma de protesto, o Bloco de Esquerda não se fez representar na cerimónia oficial das comemorações do 47º aniversário do “25 de Abril”. “O Poder Local em particular a Câmara Municipal da Guarda, não pode de forma alguma, criar e promover modelos representativos que excluam outras forças políticas, mostrando um total desrespeito pelas escolhas dos Guardenses”, acrescenta o BE.Na “saudação ao 25 de Abril” o BE disse que continuará a defender a Constituição da República”. Lembrou que “todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei”. Defender o Estado Social e garantir o reconhecimento e valorização dos salários e carreiras de todos os trabalhadores e estar na primeira linha na luta contra a precariedade, na defesa do emprego foram outros dos pontos destacados na mensagem.“Para recuperar a economia e o país, são necessárias transformações estruturais, relançar o investimento nacional, criando assim emprego que se quer de qualidade, bem como estimular o consumo interno”, escreveu o Grupo Municipal do BE na Assembleia Municipal da Guarda, na “saudação ao 25 de Abril”.