Projecto envolve a Câmara Municipal de Almeida


O Center For Jewish History, em Nova Iorque, acolhe, até ao dia 9 de Setembro, a exposição “Portugal the Last Hope: Sousa Mendes’ Visas For Freedom”, em homenagem a Aristides de Sousa Mendes, que envolve a Câmara Municipal de Almeida. A exposição foi organizada em parceria com o Consulado de Portugal em Nova Iorque, a Sousa Mendes Foundation, a Câmara Municipal de Almeida e o futuro museu “Vilar Formoso Fronteira da Paz”.
A autarquia de Almeida lembra que em 2012 arrancou o projecto do “Museu Vilar Formoso Fronteira da Paz, Memorial aos Refugiados e ao Cônsul Aristides de Sousa Mendes”. O museu, que abrirá as suas portas em meados de 2017, ocupará dois antigos armazéns ferroviários junto à estação de caminho-de-ferro de Vilar Formoso, principal fronteira terrestre portuguesa. O projecto do novo museu é da autoria da arquitecta Luísa Pacheco Marques, com vasta obra tanto em Portugal como no estrangeiro. Os conteúdos científicos estão a cargo da investigadora Margarida de Magalhães Ramalho.
“Desde o inicio que a equipa quis apostar, não só na divulgação nacional como também na internacional já que a maioria dos refugiados que passaram por Portugal, durante a II Guerra Mundial, com ou sem vistos de Sousas Mendes, radicaram-se, mais tarde, maioritariamente no continente americano”, refere a autarquia. Assim, ainda em 2013, Luísa Pacheco Marques contacta o português João Crisóstomo, residente em Nova Iorque há 41 anos e activo defensor de causas nacionais nos Estados Unidos, nomeadamente da salvaguarda das gravuras de Foz Côa, da independência de Timor Leste e, sobretudo, do reconhecimento internacional de Aristides de Sousa Mendes. Será João Crisóstomo que irá estabelecer a ponte entre o atelier de Luísa Pacheco Marques com a anterior cônsul portuguesa em Boston, Manuela Bairos. Com a nomeação, em 2015, desta diplomata para Cônsul Geral de Portugal em Nova Iorque, o projecto de apresentação do museu naquela cidade americana tomou uma outra dimensão. Manuela Bairos contacta, então, o Center for Jewish History, uma prestigiada organização nova iorquina, que engloba quatro importantes organismos judaicos, The American Shefardi Federation, Leo Baeck Institute , Yivo Institute e the American Jewish Historical Society cujo espólio arquivístico o coloca, em importância, imediatamente abaixo, do Yad Vashem. No final de 2015, fica então assente a apresentação de uma exposição em Nova Iorque, no Center For Jewish History pela mão da American Sephardi Federatio, concebida pela equipa do Museu Vilar Formoso - Fronteira da Paz. O Centro associa-se ao Consulado Geral de Portugal, em Nova Iorque, à Câmara Municipal de Almeida e ao futuro museu “Vilar Formoso, Fronteira da Paz” para, em conjunto, apresentarem a exposição “Portugal The Last Hope: Sousa Mendes’ visas for Freedom”. A exposição contou, ainda com o contributo da Sousa Mendes Foundation, um organismo americano que vem desde 2010 recolhendo, sobretudo nos Estados Unidos, testemunhos e documentação relativa a pessoas salvas por Aristides de Sousa Mendes. Teve também o apoio do Turismo de Portugal Centro, da Fundação Luso - Americana para o Desenvolvimento, do Museu Virtual Aristides Sousa Mendes e da International Raoul Wallenberg Foundation. Concebida e impressa em Lisboa, a exposição foi inaugurada no dia 7 de Abril, em Nova Iorque, onde estiveram presentes cerca de 300 pessoas. A cerimónia de abertura contou com intervenções do Executive Directeur de American Sephardi Federation, Jason Guberman, da Cônsul Geral de Portugal, Manuela Bairos e do presidente da Câmara de Almeida, António Baptista Ribeiro. Seguiu-se a apresentação do museu pela sua coordenadora, a arquitecta Luísa Marques, antecedida por um enquadramento histórico feito por Margarida de Magalhães Ramalho.