Almeida


A Câmara Municipal de Almeida mandou suspender as obras de pavimentação que estavam a decorrer nas Portas de São Francisco, no âmbito da empreitada de “Restauro Estrutural das Portas de São Francisco, Respectivos Corpos de Guarda e Pavimentações”.
O Presidente da autarquia emitiu um comunicado, no dia 19 de Janeiro, para explicar que o executivo determinou interromper os trabalhos de pavimentação porque “há clara intenção do município de que as obras decorram de acordo com os projectos previamente aprovados”. António José Machado adiantou que “no entanto, por vezes, a realidade nem sempre nos consegue dar a real perspectiva que o desenho do projectista nos mostra. Consideramos que no caso em apreço se regista esse facto e, por isso, tomámos a decisão de suspender os trabalhos de pavimentação”. No documento, o autarca refere que “com elevação e sentido de responsabilidade, foi já encetado o diálogo com o projectista no sentido de tentar perceber alternativas que vão de encontro àquilo que são as expectativas do executivo para que, dentro do espírito reformista legalmente instituído, se consiga respeitar e manter a beleza do património que a Praça-Forte de Almeida possui”.
António José Machado também sublinhou que “não foi e não será com toda a certeza intenção do executivo desvirtuar ou tirar brilho ao conjunto monumental que a Praça de Almeida possui”. E acrescentou: “Antes pelo contrário, as centenas de milhares de euros investidos ao longo dos últimos anos no restauro e melhoria de todo o património demonstram a vontade e estratégia do executivo”. O autarca deixou a garantia de que “durante os próximos dias será apresentada e implementada uma solução alternativa”.
A concelhia do Partido Socialista de Almeida reagiu a esta situação através de um comunicado onde refere que desde Julho de 2022 tem “efectuado pedidos de esclarecimento junto da DRCC - Direcção Regional de Cultura do Centro no que diz respeito às obras que ocorreram em Castelo Mendo e que decorrem nas Portas de São Francisco, em Almeida”, tendo também dado conta de uma derrocada na muralha da Aldeia Histórica de Castelo Mendo.
“O património existente em todo o concelho deve ser conservado mantendo a sua identidade histórica! É, para nós, um assunto da maior importância! É à DRCC que cabe a aprovação e verificação legal destas intervenções no nosso património, mas o cunho da obra será sempre dos executores!”, escreveu concelhia do PS de Almeida.