Almeida


A Anta da Pedra de Anta, ou Anta da Malhada Sorda, em Casais da Pedra d’Anta, na Freguesia de Malhada Sorda, no concelho de Almeida, foi classificada como sítio de interesse público por portaria publicada na quinta-feira, dia 8 de Outubro, em Diário da República.
De acordo com a portaria, assinada pelo Secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, a “Anta da Pedra de Anta, ou Anta da Malhada Sorda, é um exemplar de arquitectura funerária megalítica com características singulares”. E acrescenta: “Composta, na actualidade, por apenas três dos esteios graníticos que comporiam a câmara funerária, bem como pela primitiva laje de cobertura, a anta destaca-se sobretudo pela existência, muito incomum neste género de monumentos, de motivos gravados na parte superior direita da face exterior de um dos esteios, onde predominam traçados reticulados e alguns círculos”. “A raridade destes elementos decorativos contribui para a determinação do valor simbólico e patrimonial da Anta da Pedra de Anta, reforçando a sua importância para o conhecimento da ocupação humana e do povoamento pré -histórico deste território”, lê-se no mesmo documento.
Ainda de acordo com a portaria, a classificação da Anta da Malhada Sorda, reflecte os critérios relativos ao interesse do bem como testemunho simbólico, ao seu interesse como testemunho notável de vivências ou factos históricos, ao seu valor estético e técnico intrínseco, à sua concepção arquitectónica e paisagística, e à sua importância do ponto de vista da investigação histórica ou científica. A zona especial de protecção do monumento agora classificado será fixada por portaria.
O presidente da Junta de Freguesia de Malhada Sorda, Jorge Matias, reagiu com satisfação à classificação da anta como sítio de interesse público por representar o “reconhecimento” da sua importância. “A classificação é uma mais-valia para a Freguesia e para o concelho de Almeida, visto existir mais um ponto de referência para as pessoas a poderem visitar e para atrair algum turismo que tanta falta faz nestas pequenas aldeias esquecidas do Interior do país”, disse o autarca. Adiantou que a Junta de Freguesia irá, junto da Câmara Municipal de Almeida, tentar fazer um roteiro do património existente na Freguesia, visto ser vasto, com a anta agora classificada e a Igreja Matriz já classificada como imóvel de interesse público e a existência de uma antiga sinagoga que está a ser recuperada e vai ficar incluída no Roteiro Judaico da Beira Interior.