Associativismo


Albino Bárbara encabeçou a única lista candidata aos órgãos sociais do Centro Cultural da Guarda para o triénio 2020-2023, cujas eleições decorreram na passada sexta-feira, dia 13 de Dezembro. Também fazem parte da direcção da colectividade Manuel Lopes e Joaquim Nércio (vice-presidentes), Joaquim Mingacho e Maria Helena Ferreira (tesoureiros), e Alexandre Gonçalves e Maria de Fátima Duarte (secretários).
A Assembleia-Geral é presidida por José Valbom e o Conselho Fiscal por Paula Camilo. A tomada de posse da nova direcção decorrerá no início do mês de Janeiro.
Albino Freire Bárbara é natural da cidade da Guarda. Considera-se um “Rochista” (Colégio de S. José) onde fez o ensino secundário. É funcionário da ULS da Guarda exercendo funções na USP (Unidade de Saúde Pública).
O Centro Cultural da Guarda foi fundado em 17 de Novembro de 1962 e promove a aprendizagem de diversas áreas ligadas à cultura. Tem duas vertentes distintas, as escolas de música e ballet e o associativismo. As escolas de música onde se lecciona a aprendizagem de todo o tipo de instrumentos musicais (sopro, teclas, cordas, percussão) e as escolas de ballet e danças modernas. No tocante ao associativismo conta com o Orfeão, o coro “Cantar Tradição”, o coro infantil e juvenil, o conjunto de música popular portuguesa “Conjunto Rosinha”, o conjunto de música dos anos sessenta “60 – 5 estrelas” e o Rancho Folclórico.