Operação Censos Sénior 2020

A Guarda é o segundo Distrito, logo a seguir a Vila Real, com mais população idosa, que vive sozinha, isolada, ou sozinha e isolada. De acordo com a Operação “Censos Sénior”, realizada pela Guarda Nacional Republicana, em Outubro deste ano, no distrito da Guarda foram sinalizados 4 585 idosos que vivem sozinhos. Desde 2011, ano em que foi realizada a primeira edição da Operação “Censos Sénior”, a GNR tem vindo a actualizar a base de dados geográfica, então criada, proporcionando assim um melhor apoio à nossa população idosa, o que certamente contribui, por um lado, para a criação de um clima de maior confiança e de empatia entre os idosos e os militares da GNR e, por outro, para o aumento do seu sentimento de segurança. Durante a operação, foram realizadas 34 acções em sala e 3652 acções porta a porta, abrangendo um total de 20.747 idosos.Na operação “Censos Sénior 2020”, a GNR sinalizou 42.439 idosos que vivem sozinhos e/ou isolados, ou em situação de vulnerabilidade, em razão da sua condição física, psicológica, ou outra que possa colocar em causa a sua segurança.Por distritos, os idosos que vivem sozinhos estão assim distribuídos: Aveiro - 1 383; Beja - 3 403; Braga - 1 543; Bragança - 3 285; Castelo Branco - 1 842; Coimbra - 1 334; Évora - 2 654; Faro - 3 313; Guarda - 4 585; Leiria - 1 090; Lisboa – 767; Portalegre - 3 104; Porto – 857; Santarém - 2 035; Setúbal - 1 734; Viana do Castelo - 1 043; Vila Real - 5 065; Viseu - 3 402.A Operação “Censos Sénior” tem como objectivo identificar a população idosa, que vive sozinha, isolada, ou sozinha e isolada, através da actualização dos registos das edições anteriores.Durante a operação, os militares privilegiaram o contacto pessoal com as pessoas idosas em situação vulnerável, no sentido de sensibilizarem e alertarem este público-alvo para a adopção de comportamentos de segurança que permitam reduzir o risco de se tornarem vítimas de crimes, nomeadamente em situações de violência, de burla, furto e ainda para prevenir comportamentos de risco associados ao consumo de álcool, bem como para a adopção de medidas preventivas de propagação da pandemia COVID-19.