O grande erro de Marcelo Rebelo de Sousa foi anunciar antecipadamente o chumbo do Orçamento de Estado

a intenção de dissolução do parlamento e da convocação de eleições antecipadas.No aproveitar é que está o ganho e foi o que António Costa fez.Um primeiro ministro em queda nas sondagens, liderando um governo desgastado, composto maioritariamente por ministros sem autoridade e sem presença nas respetivas pastas, com enorme pressão pública e do próprio PS, para fazer uma remodelação, nem esperava tão surpreendente brinde.Eduardo Cabrita coleciona polémicas em cima de polémicas e em relação à última ainda nem se sabe a que velocidade o veículo circulava; Manuel Heitor que tem a cargo o Ensino Superior tem sido um ministro inferior só superado por uma ministra da agricultura, da qual não se conhece paradeiro, a não ser quando, em aparições fugazes, abre a boca e deixa mais uma polémica; Ana Abrunhosa, ministra da desconexão territorial, nada acrescentou em coesão a um país cada vez mais desigual; Matos Fernandes criou um ambiente cada vez mais insustentável com a venda das barragens da EDP, faltando explicar igualmente os negócios do lítio, o aumento insuportável dos custos energéticos e dos combustíveis. A rotura é o substantivo mais presente sempre que se fala de serviços públicos. A Saúde está doente e a Educação ausente. Ainda temos ministro? É que só tenho visto o Mário Nogueira em intermitentes aparições públicas, nada consistentes...Com este cocktail qual era o primeiro ministro que não queria eleições antecipadas? Até nem precisou de fazer substituições no governo e assim perder apoios no Partido Socialista.Se a tudo isso juntarmos uma direita sem rumo, com lideranças débeis, e uma esquerda cambaleante que ainda não recuperou do desastre autárquico, tínhamos todos os ingredientes para evitar que António Costa fizesse qualquer esforço adicional para que se aprovasse o famigerado Orçamento de Estado.A sobrevivência política pesa sempre mais do que o interesse nacional e com amigos como o PR, António Costa pode estar tranquilo.