Recolhido em casa, devido à crise pandémica que nos aterroriza

mas também do tempo nada agradável que se faz sentir, escolhi esta sentença popular para levar até vós o que me vai na alma.Estamos a falar dos dias mais pequenos do ano, pois neste período, antes do Natal, apenas três dias passam a crescer, é tal bico de pardal como está enquadrado na sabedoria popular. Com pouco Sol nada se pode esperar do calor que a natureza nos oferece, daí que os eventos que vão acontecendo visem o aquecimento humano, que das formas mais diversas vão acontecendo.No meu entender, o dia mais festejado no espaço a que me refiro, é o dia onze de Novembro, dia de São Martinho, tanto no aspecto religioso como no profano. De Norte a Sul do país em qualquer localidade, por menor que seja, ou se brinda ou se reza a São Martinho de Tours.Neste dia, festas e feiras são muito frequentes, pelo que dou um certo destaque à Feira Nacional do Cavalo na Golegã, onde as amazonas primam pelas suas montadas, pelo seu traje e acima de tudo pelo seu trotear. Há que ter em conta a bebida que serve de brinde, em terras frias é jeropiga, nas mais amenas é a água-pé, que nunca as castanhas ficam por longe.Esta aliança entre o São Martinho com o vinho e seus derivados, fazem celebrar os seguintes feriados municipais: - Alijó, Meda, Penafiel, Pombal e Torres Vedras.  São Martinho de Tours notabilizou-se como militar e pelas qualidades religiosas que o elevaram a Santo, qualidades que enquadram num outro Santo e este bem Português. Estou a falar de São Nuno de Santa Maria, que embora a sua veneração aconteça cinco dias antes, no mesmo mês, dia seis propriamente dito, foi um nobre general, distinguindo-se na Guerra da Independência onde obteve o título de Condestável de Portugal.A aristocracia não lhe passou ao lado, foi o 38º Mordomo-mor do Reino, 7º Conde de Barcelos, 3º Conde de Ourém e 2º Conde de Arraiolos.Em Prol da Fé criou o convento do Carmo que inicialmente albergou os Frades carmelitas. Esta estrutura ficou muito danificada com o terramoto de mil setecentos e cinquenta e cinco, mas ainda hoje mantém grande prestigio pois além de outros serviços, mantem-se ali o Comando-geral da Guarda Nacional Republicana.O Santo Condestável foi beatificado em 23 de janeiro de1918 e canonizado em 26 de abril de 2009, onde veio a adquirir o nome de São Nuno de Santa Maria. Embora haja por Portugal de lés a lés, imagens e bustos em sua honra, é da cidade de Lisboa, em Campo de Ourique que se erigiu a Igreja em honra do Santo Condestável no ano de 1951. Para além deste local de culto, prestam-se honras a este Santo, patrono da Arma de Infantaria no Exército Português, no castelo de Ourém e celebra-se o feriado municipal no município de Sertã, uma vez que São Nuno de Santa Maria é dado como nascido em Cernache do Bonjardim naquele concelho das beiras.No que toca a temperatura baixa, não deixa de ser o São Martinho quem melhor se identifica, basta recordar a ocasião de frio agreste, em que partilhou a sua capa com o mendigo que a tiritar lhe estendeu a mão. Quanto a São Nuno de Santa Maria, não lhe conheço qualquer confronto com a frialdade, no entanto não deixa de ter as orações em sua glória no mesmo espaço de tempo frio. Também ainda não dei conta que tenha saído em procissão abençoando algo de que seja padroeiro.Assim vejo neste minguar de luminosidade natural dois santos da Fé católica, bem semelhantes na sua acção, com as celebrações bem próximas e merecidas, só que não sei bem porquê o português espalha menos alegria.Penso eu que será por ter menos tempo de casa. Se assim for, bem teremos que entender que a velhice é um posto e daí ao longo dos tempos o São Martinho tenha alegrado mais gente.