Para Nietzsche, “a verdade e a mentira são construções que decorrem da vida no rebanho e da linguagem que lhe corresponde.

O homem do rebanho chama de verdade aquilo que o conserva no rebanho e chama de mentira aquilo que o ameaça ou exclui do rebanho. A verdade e a mentira são ditas a partir do critério da utilidade ligada à paz no rebanho. “
E assim se dizem colossais mentiras como se fossem grandes verdades. É a linguagem própria de quem olha à sua volta e vê um rebanho que lhe permite ser detentor de uma posição da qual não pensa abdicar, julgando que os indivíduos desse mesmo rebanho são acéfalos, o que nem sempre acontece.
No caso concreto, que passo a referir, a mentira foi entendida como a ferramenta mais útil, mas o rebanho deu sinais de agitação e pode ameaçar a paz. As mentiras sucessivas podem pôr a nu realidades que as contradizem.
Temos assistido a um sem número de anúncios, próprios da época eleitoral que se vive e da caça ao voto que neste tempo se abre. Um desses anúncios diz que este governo foi o que mais combateu a PRECARIEDADE.
Ora, este anúncio, divulgado como se fosse uma verdade, incorpora em si mesmo uma contundente mentira e dada a sua enorme dimensão, tal facto deixou o rebanho numa tremenda agitação.
Desmontando a mentira, recentemente, no dia vinte e três de julho do corrente ano, a DGAE (Direção Geral da Administração Escolar) publicou uma nota informativa que permitia a recondução dos técnicos especializados em exercício em Agrupamentos de Escolas, para o ano letivo de 2019/2020.
No seguimento dessa orientação, o nome de vários técnicos, psicólogos e outros, constou na plataforma dos diretores de Agrupamentos que, naturalmente, os que reconduziram.
Esta recondução seria um extraordinário benefício para as crianças que usufruíam já de acompanhamento dos referidos técnicos. Concomitantemente, garantiria um melhor funcionamento das equipas multidisciplinares de apoio à educação inclusiva e possibilitaria uma dinâmica ajustada no funcionamento do próximo ano letivo que agora se iniciou. Contudo, dias após estas reconduções, a DGAE pronunciou-se no sentido de não autorizar que as mesmas se concretizassem. Não o fez por não se justificar a contratação destes profissionais, porque eles faziam falta. Fê-lo para que estes técnicos não vinculassem por ser a terceira recondução consecutiva. Fê-lo para manter a PRECARIEDADE e a INSTABILIDADE dos alunos, das escolas e dos profissionais, mesmo conhecedor que, de acordo com Artigo 29.º da Lei de Bases do Sistema Educativo - Apoio psicológico e orientação escolar e profissional, o apoio no desenvolvimento psicológico dos alunos e a sua orientação escolar e profissional, bem como o apoio psicopedagógico às atividades educativas e ao sistema de relações da comunidade escolar, são realizados por serviços de psicologia e orientação escolar profissional inseridos em estruturas regionais escolares.
Quando o rebanho é informado e bem formado não há sentidos dúbios e entendimentos semelhantes para conceitos opostos. Uma mentira é sempre uma mentira, da mesma forma que com a verdade se passa algo de semelhante, mesmo que se possa acreditar que “não há factos eternos, como não há verdades absolutas”, na perspetiva do mesmo Friedrich Nietzsche.