Opinião

E quê? Perguntar-se-á. E, muitas coisas. E não estou a brincar. O “e” é muitas coisas. O “e” pode acompanhar tudo. O “e” é tudo.

Quando regressar à minha aldeia, já não encontrarei as árvores e as pessoas da minha infância.

Entre margens da Palavra

Estamos a viver dias pavorosos

Relativamente ao mês que vivemos, nós que estamos por cá sempre sentimos as temperaturas altas.

A imagem repete-se por Portugal inteiro.

Ter nascido ao lado da fronteira abriu-me cedo os horizontes para o mundo.

As medidas tomadas pela cimeira da Aliança Atlântica,