Opinião

O que há de comum entre as palavras “desejo” e “desejar”, “sideral”, “siderar” e “siderado”, “considerar”, “consideração”, “desconsideração” e “reconsideração”, “desiderato”, “siderismo”, “sidérico” e “considerando”?

Sabe-se que em tempo de guerra, a verdade não existe.

Lembro-me bem dos meus tempos de rapaz, aluno da Escola Primária do Asilo da Guarda (uma escola pública, para rapazes e meninas mas … em salas separadas…).

Já lá vai o mês de abril em que todos nos vergamos na presença de Cristo ressuscitado.

Fruto dessa bela colheita de 1953, nascido em Torres Vedras, mas com raízes familiares na Beira Alta

A minha pretensão ao abordar o assunto da ressurreição neste tempo pascal é tão somente a de um cristão que tenta compreender este tema, já que ele é difícil de entender e também de explicar.

Ainda não foi há muito. Já não via tal há muitos anos.

A memória das palavras