Igreja


O Papa chegou, este Domingo, 24 de Julho, ao aeroporto internacional de Edmonton, para dar início à sua primeira visita no Canadá, uma “peregrinação penitencial” que visa promover a reconciliação com os povos indígenas.
O Papa Francisco foi acolhido pela governadora-geral do Canadá, Mary May Simon, o primeiro-ministro Justin Trudeau, lideranças indígenas, autoridades civis e eclesiásticas.
A cerimónia de boas-vindas decorreu ainda no aeroporto, onde representantes das comunidades indígenas entoaram cantos com instrumentos tradicionais.
Na segunda-feira, o Papa esteve na localidade de Maskwacis, a cerca de 100 quilómetros de distância, para um encontro com membros das Primeiras Nações, Métis e Inuítes.
Acompanhado por sons de tambores, Francisco fez uma visita “estritamente privada” ao cemitério local, antes de discursar perante uma delegação de lideranças indígenas de todo o país.
Os povos que habitam o território do Canadá há milhares de anos incluem três grandes grupos: as Primeiras Nações, os Métis e os Inuítes, com várias tradições e línguas.
A viagem, que termina a 30 de Julho, passa pelas cidades de Edmonton, Quebeque e Iqaluit – que abriga o maior número de Inuítes, os membros da nação indígena esquimó.