Entre margens da Palavra


0. Preparo-meProcuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.
1. O que diz o texto- Leio pausadamente Mc 10,46-52.- Sublinho e anoto o mais significativo.Um cego mendigo, sentado fora do caminho, percebe a proximidade de Jesus. Grita por Ele. Sua insistência é premiada: Jesus chama-o. Curado, decide segui-l’O, já no caminho.
2. O que me diz Deus- Imagino-me a presenciar esta cena. Que sinto e aprendo? Mais que um relato de cura é, para mim, um ensino sobre o verdadeiro discipulado. Prova disso é a palavra que Jesus dirige ao cego: “vai”, em vez de ‘vê’. A súplica “que eu veja” revela um anseio mais profundo, concretizado no seguimento final. Isto sucede a uma série de “desencontros” entre Jesus e seus discípulos que têm dificuldade em “ver” o sentido da missão do Mestre. Neste Dia Mundial das Missões, Jesus chama-me a segui-l’O, no seu caminho e envia-me a encaminhar outros para Ele. “Vejo” isso suficientemente claro?
3. O que digo a Deus- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).Senhor, instalado fora do teu caminho, temo não te “ver” passar junto de mim. Peço-Te uma consciência desperta e com voz para gritar por Ti. Meu coração esteja vivo e tenha força para insistir, sem deixar de crer e querer-Te. Possa eu passar da cega estagnação à fé, ágil e caminhante. Dá-me a ousadia de atirar fora o manto das falsas seguranças e riquezas para arriscar caminhar, livre, como discípulo teu.Não deixes que me torne massa apática, alheia aos gritos dos outros. Pelo contrário, torna-me sensível às suas necessidades. Faz de mim missionário: do teu amor e cuidado para com eles; dos seus passos até Ti. Tenha eu palavras de encorajamento para os mais vacilantes e céticos. Mestre, que eu Te veja e Te vejam em mim!
4. O que a Palavra faz em mim- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.Senhor, no teu caminho recupero a clara visão de quem és, de quem me torno conTigo e do que os outros são, ao acolhê-los. Por isso, Te agradeço, louvo e contemplo. Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.
PROVOCAÇÕES- Dou conta das passagens de Cristo na minha vida?- Sou empecilho ou ajuda a que os outros se aproximem de Deus?- Sinto que a minha fé me salva? Como?
UM PENSAMENTO“O que vejo de Deus basta-me para crer o que d’Ele não vejo.” (Emerson)
UM DESAFIOPedir ao Espírito Santo a graça de ver com olhos de fé.
ARQUIVO & PODCASThttps://seminariointerdiocesanosj.pt
UMA ORAÇÃO-POEMA
Ver mais alémcrendo e querendo-Tenão resignadoà cega acomodaçãoda beira do caminhoonde, emparedado,entorpeço e fino… devagarinho.
Gritar mais alémcontra a indiferençaque, fingida, calamas fiado no teu amorque escuta e chamaa pular no teu caminhoseguindo-Te, perseverantepela fé… que vê mais além.