Entre margens da Palavra


0. Preparo-meProcuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.
1. O que diz o texto- Leio pausadamente Jo 15, 9-17.- Sublinho e anoto o mais significativo.Jesus revela que o amor com que nos ama brota do Pai. “Guardar os mandamentos” é aprender d’Ele a viver essa dinâmica de amor. Esta é fonte de alegria e experiência de amizade. Este “testamento” de Jesus é, para nós, missão e identidade.
2. O que me diz Deus- Que me sugerem as palavras de Jesus. Que sinto? No Evangelho de S. João, Jesus não me pede que Lhe retribua amor, mas que ame meus irmãos. Porquê? O amor a Deus pode confundir-se facilmente com subjetivismo. Não se pode demonstrar nem negar. Amar o próximo é mais difícil: exige compromisso concreto e assíduo. Se recordar o que Cristo fez por mim, torna-se possível a fidelidade e doação aos outros. É dessa forma que provo ser seu discípulo e amigo. Amar é meu “estágio profissional”: permanecer e crescer, em Deus, para dar bom fruto.
3. O que digo a Deus- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).Senhor, partilhas comigo toda a herança que recebes do Pai: seu amor. Dele vives. E nele me convidas a permanecer, tomando parte dessa alegria que só o amor pode gerar. Assim acontece, sempre que a vida é dada.Como poderei retribuir-Te? Amando como Tu me amas. É o teu único pedido. Apercebo-me que o Evangelho só acontece na caridade. Na eucaristia, reavivo a fé, renovando forças e inspiração. Mas é da porta da igreja para fora que me torno “praticante”, revelando-me teu discípulo. O amor, se poupado, morre. Só dado faz viver tanto aquele que dá como quem recebe. É o que aprendo de Ti.Escolheste-me como amigo, não como servo. E é pelo meu próximo, na partilha de amor, que permaneço em Ti. Ajuda-me, pois, a “ficar em Ti” dando-me aos outros.
4. O que a Palavra faz em mim- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.Senhor, chamas-me amigo e não servo. Em Ti redescubro o amor, vivo a alegria e experimento liberdade. É no louvor que Te respondo. É na gratidão que Te contemplo e adoro.Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.
PROVOCAÇÕES- Saber-me amado por Deus gera em mim alegria?- O cuidado pelos outros é expressão desse amor?- Tenho consciência que o cristianismo só se “pratica” na caridade? 
UM PENSAMENTO“Não podemos fazer grandes coisas – só coisas pequenas com grande amor.” (Madre Teresa de Calcutá)
UM DESAFIOPedir ao Espírito Santo a graça de amar os outros como Cristo me ama.
ARQUIVO & PODCASThttps://seminariointerdiocesanosj.pt
UMA ORAÇÃO-POEMA
Eis-me herdeirode testamento teutendo o Evangelho como notárioe o amor por único espólio.Com ele não se abarrota bolsas,mas guarnecem-se corações.
Do Pai para Ti, até chegar a mimo Amor como um rio, que escoaentre meandros de tempo e espaço,abraçando-me por dentro,esbracejando-se para fora.A Ti regressa, abundadonaqueles que, a meu lado,encontro e reconheçocomo legítimos depositáriosdeste legado teu.