Entre margens da Palavra

0. Preparo-me
Procuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.
Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.

1. O que diz o texto
- Leio pausadamente Jo 16,12-15.
- Sublinho e anoto o mais significativo.
Na Última Ceia, Jesus confessa ter ainda muito para dizer, mas será missão do Espírito Santo. Ao falar também do Pai, introduz-nos na relação da Santíssima Trindade.

2. O que me diz Deus
- Imagino-me testemunha deste episódio. Ouço e vejo. Que experimento?
No contexto especial de despedida, Jesus desvela a intimidade e mistério da Trindade. Entre Pai, Filho e Espírito tudo é comunhão e comunicação. Totalmente descentrados de Si mesmos, falam e “trabalham” em função do Outro: o Espírito leva-me à plena compreensão das palavras de Jesus e a orar ao Pai; o Filho dá-me seu Espírito e só fala do Pai; Este mostra-se, no Filho, pelo Espírito. A criação e a história revelam este amor trinitário: nada guarda para si; entrega tudo. E chama-me a viver na mesma lógica.

3. O que digo a Deus
- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).
Senhor, ainda preso às necessidades, legítimas, mas básicas, custa-me “aspirar às coisas do alto”. Demasiado mundano nas preocupações, critérios e escolhas, distraio-me de desejar as realidades espirituais. Por isso, muito das tuas palavras e gestos escapam ao meu entendimento. O que deixaste de dizer não foram novas doutrinas ou explicações. É antes a plena compreensão de quem Tu és. Envia-me, pois, teu Espírito da verdade que tudo me revelará.
É no teu Espírito que entrevejo o acessível, dentro do mistério da Trindade. É por Ele que experimento e identifico a ação de cada membro da Trindade em mim e à minha volta. É através d’Ele que discirno o convite a entrar na tua intimidade, Deus Uno e Trino. É por meio d’Ele que me torna capaz de correspondência.

4. O que a Palavra faz em mim
- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.
Senhor, és berço, comunhão e comunicação do Amor ao qual me convidas. Profundamente agradecido, louvo, contemplo e adoro.
Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.

PROVOCAÇÕES
- Vejo em Deus um Pai que me ama e me deseja salvo?
- Reconheço em Jesus Cristo o Filho a quem devo minha salvação?
- Deixo-me guiar pelo Espírito Santo da verdade?

UM PENSAMENTO
“A grandeza de Deus é de ser todo Ele amor, de nada ter, de dar tudo, de estar vazio de Si.” (Maurice Zundel)

UM DESAFIO
Pedir à Santíssima Trindade a graça de viver na comunhão e na comunicação.

ARQUIVO & PODCAST
https://seminariointerdiocesanosj.pt

UMA ORAÇÃO-POEMA

Sou geografia da TRINDADE, pátria sua
mapa por onde Ela traça suas veredas:
da fronte ao peito, sabedoria afetiva,
espelho do Pai Criador que me chamou.
A Ele, glória e adoração por tanta VIDA.

Do peito aos ombros, coração cruzando
lembrando o do Filho, trespassado… dado,
rosto do “Deus comigo”, sonho e vida do Pai,
Caminho, Verdade e Vida, a seguir e imitar.
A Ele, glória e gratidão por tanto AMOR.

Entre ombros, toda a latitude do meu ser
por onde sopra o Espírito, abraço divino,
beijo, fogo e calor: Amor do Pai e do Filho,
em mim a fermentar, transbordar e contagiar.
A Ele, glória e reverência por tanta GRAÇA.