0. PreparaçãoProcuro um lugar adequado e uma boa posição corporal.

Respiro lenta e suavemente.Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.1. LeituraLeio pausadamente o Evangelho Jo 20,19-23.- Imagino-me presente, no lugar onde decorre o episódio. Sou um dos discípulos. Procuro entender os gestos e palavras de Jesus. Tento alcançar a mensagem. O que me diz e me faz sentir?- Sublinho o importante; fixo o essencial. Esta Palavra é-me dirigida.2. MeditaçãoÉ a tarde de domingo de Páscoa. Sem Jesus, os apóstolos vivem fechados pelo medo. Mas, para o Ressuscitado, não existem barreiras. Ei-l’O presente, no meio deles, como quem preside. Cura-lhes a paralisia do temor, insistindo no dom da paz, devolvendo-lhes a alegria. Mas vai mais além: renova a confiança neles desafiando-os a prosseguir a missão que Ele recebera do Pai. Para tamanha responsabilidade, concede-lhes o maior dom divino: o Espírito Santo. Sopra sobre eles como quem recria uma nova humanidade. É a Igreja nascente que vence o medo pela esperança. Também nós, vivemos a alegria de voltar a celebrar e testemunhar a nossa fé, juntos.3. Oração com DeusSenhor, tal como os teus discípulos, permaneci fechado em pleno tempo pascal, com medo. O motivo foi distinto, mas os efeitos são os mesmos. Agora, como outrora, continuas a estar presente, bem no meio da minha existência. Apresentas os sinais da tua vitória: as tuas feridas falam de amor fiel. Que cicatrizes esta pandemia deixa em mim? E que dizem elas?Desejas-me paz, a tua paz. É ela que cura toda a insegurança. Ela devolve-me à alegria, tão necessária para iniciar uma “nova normalidade”. Esta será moldada pela consciência da minha pequenez e pela confiança na tua grandeza. Mas tenho ainda muita aprendizagem pela frente.Como o Pai Te enviou, assim me reenvias agora. Queres que eu seja sinal de perdão. Estarei preparado? Serei coerente o suficiente? Contemplando as marcas do teu amor, olho para as minhas feridas. ConTigo, saberei retirar delas a lição necessária: de qualquer mal ou sofrimento, brota o apelo por um gesto de amor maior. É o milagre do perdão! Mas, para conseguir, preciso da tua força. Por isso, sopra sobre mim e concede-me, de novo, o teu Espírito. Com Ele, seremos capazes disto e muito mais!4. ContemplaçãoSenhor, és a fonte da paz, quando vacilo. És novo horizonte, quando me fecho. És alegria que liberta de todos os medos. Em Ti confio. Sobretudo, agradeço o maior dom: o teu Espírito. É Ele que fala em mim, neste momento. É por meio d’Ele que recobro desejo e vontade de aceitar a tua missão. Por tudo isto, louvo-Te, contemplo e adoro.Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.
Um pensamento - “Apenas aquele que se abre ao Espírito Santo pode conhecer a alegria do Amor que consiste em dar tudo e para sempre.” (Joseph Ratzinger)
Provocações - Se Deus quer dar-Se a mim, no seu Espírito, o que Lhe peço?- Qual a minha relação com o Espírito Divino?- Invoco o Espírito Santo na hora de tomar decisões, de preparar e realizar tarefas?- Reconheço e agradeço ao Espírito de Deus a sua ação em mim?
Um propósito - Pedir a Deus o seu maior dom: o Espírito Santo.
Uma oração poemaSopra sobre mim,Vento Indomável e irresistível.Derruba barreiras e preconceitosQue me enclausuram de medo,Desperta a audácia entorpecida.Sopra em mim,Ventila minhas brasas dormentes,Brisa sob escombros de memórias.Incendeia anseios desaprendidos,Reaviva em mim o alento divino.Sopra através de mim,Hóspede do templo que formaste,Palavras de fogo que tudo recriam.Respiração e pulsar divinos, em mimFaz-me ser na liberdade e plenitude.