Entre margens da Palavra


0. Preparo-meProcuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.
1. O que diz o texto- Leio pausadamente Lc 1,39-45.- Sublinho e anoto o mais significativo.Maria põe-se a caminho. Quer partilhar com a sua parente a alegria da maternidade. Isabel reconhece em Maria a presença de Deus. Juntas, louvam as maravilhas que só Ele realiza.
2. O que me diz Deus- Que desafios me lançam Maria e Isabel? Que sinto?Maria ensina-me a lição da gratidão. Após a Anunciação, não guarda para si o júbilo de ser a escolhida de Deus. Alegra-se com o bem dos outros e centra-se nas necessidades destes. Não adia o amor e deixa que ele se torne impulso de encontro e partilha. O pôr-se a caminho – que mais tarde seu filho Jesus repetirá sem cessar – é o maior sinal da presença e ação de Deus nela. É isso que Isabel reconhece e exalta, louvando. É isso que devo, também eu, replicar em mim: pôr-me a caminho e “praticar” a alegria partilhada.
3. O que digo a Deus- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).Senhor, que faço eu das evidências da tua presença e ação na minha vida? Duvido, como Zacarias, em vez de confiar como Maria, tua e minha Mãe. Encerro-me nas “certezas” da minha compreensão, tão limitada. Maria, soube escutar, guardar, meditar e concretizar o desafio da tua Palavra. Dá-me a sua ousadia e a generosidade. Como ela, torna-me capaz de viver do e para o amor.Ajuda-me a perceber que a verdadeira fé alimenta-se da caridade, prática e concreta. Crer é descentrar-me de mim mesmo. É ter-Te a Ti como ponto de partida e chegada, passando sempre pelos outros. Desinstala-me e põe-me a caminho. Torna meu amor sedento de gestos e atitudes fecundas. Como Maria, faz-me levar e despender paz e alegria, sem conta. Presida a cada encontro a bênção da tua presença entre nós. 
4. O que a Palavra faz em mim- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.Senhor, esperar e celebrar o Natal é Ter-Te presente e partilhar-Te. Por tão grande alegria, agradeço e louvo. Contemplo e adoro.Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.
PROVOCAÇÕES- Procuro levar paz e felicidade aos outros?- Tenho especial atenção por quem vive só, deprimido ou doente?- Que rasto deixa a minha vivência de fé nos outros?
UM PENSAMENTO“Na vida só há uma maneira de ser feliz: viver para os outros.” (Liev Tolstoi)
UM DESAFIOPedir ao Espírito Santo a graça de converter a fé em alegria partilhada.
ARQUIVO & PODCASThttps://seminariointerdiocesanosj.pt
UMA ORAÇÃO-POEMA
Que feliz creré viver,posto a caminhocom a almagrávida de céu.
Que feliz jornadearé prodigalizara cada gestoe encontroum pedaço de Deus.
Que feliz existiré persistir entre nósno germinar d’Aqueleque vem para ficar.