Entre margens da Palavra


0. Preparo-meProcuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.
1. O que diz o texto- Leio pausadamente Mc 13,24-32.- Sublinho e anoto o mais significativo.Jesus anuncia o fim dos tempos que coincidirá com o seu regresso. Suas palavras, que “não passarão”, apelam a ler os sinais de esperança, como o da figueira que vaticina o verão.
2. O que me diz Deus- O que sinto diante das palavras de Jesus? Que significam para a minha vida?Apesar do anúncio apocalíptico de “grande aflição”, Jesus assinala-me um marco de confiança: os ramos tenros da figueira não preanunciam um fim, mas um novo começo. Importante é saber que o Senhor está próximo, à minha porta. As trevas não detêm a sua chegada. Mais que falar sobre o fim do mundo, Jesus convida-me a viver o presente de forma consciente, vigilante e manter-me sempre pronto. Neste “Dia Mundial dos Pobres”, devo ser sinal de esperança para eles. Assim, Deus terá a última palavra.
3. O que digo a Deus- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).Senhor, a incerteza do futuro angustia-me. As falhas do passado deprimem-me. Não me dou conta que, distraído do presente, meu hoje escapa-se-me sem o viver. Centra-me no momento presente, peço-Te. Como dizia santa Teresa de Lisieux, “para amar-Te na terra só tenho o dia de hoje”.Não deixes que meu invernal pessimismo ofusque os sinais primaveris da tua presença e ação no mundo. Dá-me, antes, um olhar clarividente e um coração lúcido para Te reconhecer em tudo e sempre.Faz de mim um instrumento de paz e alegria para os outros, em casa, na rua, na escola ou no trabalho… Esteja eu atento aos mais necessitados. Seja eu para eles “ramo novo de figueira”, oferecendo por sombra consolação e por frutos atenção e amor.
4. O que a Palavra faz em mim- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.Senhor, pelas provas da tua presença na minha história, posso, hoje, identificar os sinais da tua proximidade. Por isso Te agradeço, louvo e contemplo.Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.
PROVOCAÇÕES- Encaro o futuro angustiado ou confiante?- Reconheço no meu quotidiano os sinais da presença de Deus?- Meus gestos e palavras são alento e consolo para os outros?
UM PENSAMENTO“É preciso ir até ao fim da noite para encontrar outra aurora.” (Georges Bernanos)
UM DESAFIOPedir ao Espírito Santo a graça de viver o hoje centrado no bem.
ARQUIVO & PODCASThttps://seminariointerdiocesanosj.pt
UMA ORAÇÃO-POEMA
Brotes de esperançaem palavras que não passarãofazem deste hojeaurora de amanhã.Se este transparece sombrioescurece-se o ânimoe antecipa-se a noite, despidade todo o celeste brilho.Mas se, ansioso, espero o sol,é o mesmo vento que me fustigaa alma, desapiedado,que, igual, varre as nuvens.É ele, de verdadeque me caleja o quererde hoje em Ti crer,sabendo-Te jáà minha porta.