0. Preparo-meProcuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.


1. O que diz o texto- Leio pausadamente o Evangelho Mt 5,1-12a.- Sublinho e anoto o mais significativo.É o início do “Sermão da Montanha”. Nele, Jesus enumera as orientações capitais do seguimento. Aqui, enuncia as Bem-aventuranças, a “Carta Magna” do cristianismo, onde declara felizes aqueles que antecipam o Reino de Deus nas suas vidas. 2. O que me diz Deus- Imagino-me entre os discípulos, escutando Jesus. Como reajo? O que sinto? Estas palavras de Jesus não são para a multidão. Destinam-se aos discípulos que O rodeiam. São para cada um. Hoje, para mim. Nas Bem-aventuranças, proclamam-se felizes os que vivem a lógica do Reino. Não uma felicidade fácil ou “barata”. Pelo contrário, a que promove está em contracorrente. Não é para acomodados. Jesus não beatifica a pobreza, a aflição ou a opressão. Declara felizes pessoas: os pobres, os que choram, lutam, se comprometem sem desistirem do bem, da verdade, da justiça. Esta felicidade não depende das circunstâncias. Antes, é resposta, consciente e não resignada, em todas as situações. Aqui e agora.3. O que digo a Deus- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).Senhor, eis-me membro de uma grande multidão que diz seguir-Te. Mas creio o suficiente para ter um coração bem-aventurado, como o proclamas no Evangelho? Como experimentar essa felicidade quando me sinto pobre, triste, abatido e incompreendido? Talvez eu esteja à espera que ela caia do céu, de Ti…Senhor, queres-me arrancar da multidão apática e consumidora de graças. Desafias-me a enfrentar as minhas dificuldades, confiante. Uma felicidade que dependa das circunstâncias é demasiado barata para ser boa. Aquela que desejas para mim implica o meu querer e arriscar. Não é uma condição prévia. É antes um caminho a percorrer, uma meta que chama por mim. Tu abriste esse caminho, derrubando os medos da dor e da morte. É essa certeza de pisar os teus passos que me alegra. Se sigo por Ti e conTigo, sou feliz, bem-aventurado.4. O que a palavra faz em mim- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.Senhor, não me queres acomodado mas em Ti apoiado. Ainda que o caminho me desgaste, sei que Tu és convite à alegria e promessa de felicidade. Em Ti confio. Por isso Te louvo e agradeço. Contemplo e adoroInspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.
Um pensamento -“Os santos são pecadores que não desistem”. (São João Paulo II)
Provocações - Vivo as Bem-aventuranças?- Quais preciso aprofundar na minha vida concreta?- As Bem-aventuranças associam-nos aos santos. Aprendo com eles?- As graças que peço por intercessão dos santos tornam-me melhor cristão?
Um desafio - Pedir ao Espírito Santo a graça de ter um coração bem-aventurado.
Uma oração poemaSonhara eu ser felizVendo-me ter, rir e vencer,DespreocupadoCom a dor alheia ou minha.Mas eis-me experimentado,Com vida precária e desprovidaE este desassossego…
Em Ti, descubro um caminhoOnde tudo se iluminaCada lágrima feita sementeDe paz e justiça amassadasTornadas pão digno e abençoadoA saciar fomes e abraçosVendo-me ser, desde dentro,Como Tu o dizes, bem-aventurado.