Entre margens da Palavra
0. Preparo-me
Procuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.
Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.
 
1. O que diz o texto
- Leio pausadamente Jo 21,1-19.
- Sublinho e anoto o mais significativo.
Ao romper do dia, Jesus volta a aparecer aos apóstolos. Graças a Ele, conseguem pesca, em abundância. Após a refeição, Pedro é questionado sobre o seu amor por Jesus.
 
2. O que me diz Deus
- Imagino-me testemunha deste episódio. Vejo e ouço Jesus. Que experimento?
Os apóstolos regressaram à Galileia, ao lago, aos peixes… Retomaram o quotidiano, mas o esforço é infrutífero. Cansados, frustrados, estão na noite. Com Jesus, irrompe a luz. Desafia-os a lançar as redes. A pesca agora superabunda. Tal como tudo começara, anos antes. Só pode ser o Senhor! Pedro atira-se à água como se lança uma rede, cumprindo sua vocação: ser pescador de homens. Seu amor é frágil, aquém daquilo que Jesus merece. Mas é real. É com ele (e Ele) que se propõe recomeçar… ressuscitar.
 
3. O que digo a Deus
- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).
Senhor, celebrada a Páscoa, a tentação é retomar a normalidade. Mas a tua Ressurreição está muito para além do “normal”. Entre pandemia e guerra, este mundo está em plena mudança. Não posso voltar ao mesmo de sempre. Ajuda-me perceber que a Ressurreição é apelo à novidade.
Como os apóstolos, é-me difícil reconhecer-Te. Também eu me canso, desalentado, “às escuras”. Faz-me distinguir os sinais da tua presença e os teus apelos no dia-a-dia das tarefas e relacionamentos. Como Pedro, quero lançar-me, confiado em Ti. Como ele, por medos e dúvidas, sei que Te nego. Por isso, não Te amo mais do que todos os outros. Não Te amo a ponto de ousar prometer o que, por agora, não saberei dar. Mas sabes o que hoje posso. Isso quero oferecer. Comecemos, juntos, por aqui.
 
4. O que a Palavra faz em mim
- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.
Senhor, renovas-me a fé, a esperança e o desejo de amar. Ao teu jeito, conTigo. Só me resta agradecer, louvar e contemplar-Te.
Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.
 
PROVOCAÇÕES
- Decido e atuo por “conta própria” ou conto com Deus? 
- Reconheço a presença de Deus no meu quotidiano?
- Concretamente, qual é o meu amor por Jesus?
 
UM PENSAMENTO
“É em Deus que alcançamos a nossa verdadeira identidade.” (Maurice Zundel)
 
UM DESAFIO
Pedir ao Espírito Santo a graça de recomeçar, cada dia, amando.
 
ARQUIVO & PODCAST
 
UMA ORAÇÃO-POEMA
 
É no meu hoje
que me surges,
irrompendo de luz
a noite e o cansaço
da infértil faina.
Embotado por dentro
desconheço-me
assim… sem Ti.
 
Na praia do meu viver
ofertas-me o alvor
de um recomeço.
Do rebate à certeza,
lanço-me como rede
sequiosa de enlaços.
Se Te amo, Senhor!?
ConTigo aprenderei.