Entre margens da Palavra


0. Preparo-meProcuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.
1. O que diz o texto- Leio pausadamente Mc 6,7-13.- Sublinho e anoto o mais significativo.Jesus chama os apóstolos para a missão, concedendo-lhes o seu poder e autoridade. Esse ministério implica irem dois a dois e nada levar, senão um cajado e sandálias.
2. O que me diz Deus- Imagino-me enviado por Jesus. Que sinto? Hoje, Jesus envia-me a testemunhar a fé e esperança, na caridade de gestos e atitudes. Por isso, nunca vou só. O Evangelho implica relação: com Deus e com os outros. Por outro lado, a credibilidade e eficácia do meu testemunho não dependem da segurança dos meios que julgo necessários. Derivam da presença e ação do Espírito de Jesus em mim, da sua Palavra e autoridade. Bastam um amigo (para concretizar a comunhão), um cajado e sandálias (para avançar). O evangelho vive-se no caminho, não no sofá.
3. O que digo a Deus- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).Senhor, quero ser livre. Mas essa liberdade de ser enviado em missão sem nada possuir, assusta-me. Julgo que ter meios bons e adequados me dá a segurança desejada e legítima. Na verdade, preferes que não dependa de nada, somente de Ti e do teu Evangelho. Sonhas-me caminhante, desinstalado, sempre ao encontro de Ti e dos outros. Percebo que o meu coração está preso a tantas coisas e que anseio por estabilidade e reconhecimento. Dá-me a ousadia de confiar totalmente em Ti.Pedes, também, que não viva a missão sozinho. O Evangelho não se vive solitário, mas solidário. Ele exige e promove a relação, a comunhão e a caridade. Só assim serei credível. Concede-me, pois, o teu Espírito para me guiar e desafiar; a tua Palavra para me nutrir e inspirar; a tua autoridade para exercer o bem, em teu nome e para todos.
4. O que a Palavra faz em mim- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.Senhor, em Ti encontro o amigo, para firmar o coração e o cajado para amparar o caminho. Por isso, Te louvo, agradecido. E contemplo, maravilhado.Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.
PROVOCAÇÕES- Vivo a fé instalado ou deixo-me desafiar por ela?- Onde coloco a minha segurança: nas coisas ou em Deus?- Percebo os meus relacionamentos humanos como dom e missão? 
UM PENSAMENTO“A verdadeira riqueza não está no que se tem, porque isso se vai perder, mas no que se é e que, por isso, se pode dar.” (José Luís Nunes Martins)
UM DESAFIOPedir ao Espírito Santo a graça de me sentir enviado por Jesus.
ARQUIVO & PODCASThttps://seminariointerdiocesanosj.pt
UMA ORAÇÃO-POEMA
Dois a dois,pela estrada dos diassem nada levar em mãos,a não ser o cajado da Tua palavra.Tão despojados de nóslivres e ligeiros,sem apoios nem favores.Mas tão ricos de Tique nos grita o coraçãodizendo-Te com gestos,anunciando-Te com olhos em brasae sorriso com sabor a pão.Dois a dois,pois Deus não se declinanem se experimenta solitáriomas com o outro, a nosso ladocomo bálsamo para o coração,como Evangelho de carne e vida.