O primeiro-ministro português elogiou, esta segunda-feira, 20 de Abril,

o “exemplo” da Igreja Católica durante o estado de emergência, apontando ao regresso gradual das celebrações religiosas no mês de Maio. António Costa falava aos jornalistas após uma reunião com presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), D. Manuel Clemente, na residência do cardeal-patriarca, junto ao Seminário dos Olivais.Os responsáveis debateram o levantamento das restrições às celebrações religiosas face à pandemia de Covid-19.“Deveremos, a partir de Maio, começar a encontrar um maior ponto de normalidade, nas celebrações religiosas, tendo em conta a previsão que temos”, disse o primeiro-ministro.Esse regresso será feito ” gradualmente e com todos os cuidados sanitários” que permitam aliviar as atuais medidas de contenção. Mas advertiu que “a seguir ao estado de emergência, não volta tudo ao normal”.