Em tempo de pandemia Congregação para o Culto Divino dá orientações para Semana Santa e Tríduo Pascal

A Congregação para o Culto Divino publicou um novo decreto sobre as celebrações da Semana Santa e do Tríduo Pascal, que vão decorrer sem assembleia nos países onde se verifiquem restrições sanitárias, como em Portugal.A Santa Sé actualizou as indicações para a organização das celebrações que vão desde o Domingo de Ramos ao Domingo de Páscoa, menos de uma semana depois de ter publicado um primeiro decreto, “considerando a rápida evolução da pandemia” do novo coronavírus e “levando em consideração as observações recebidas das Conferências Episcopais”.Como a data da Páscoa não pode ser transferida, nos países afectados pela doença, onde estão previstas restrições aos encontros e movimentos de pessoas, os bispos e os presbíteros celebram os ritos da Semana Santa sem a participação do povo e em local adequado, evitando a concelebração e omitindo o abraço da paz, assinala o documento.O Vaticano pede que as comunidades católicas sejam informadas do horário de início das celebrações, para que se possam se unir em oração, através das transmissões ao vivo, nos meios de comunicação social e redes sociais.A Santa Sé recorda que as expressões da piedade popular e as procissões que enriquecem os dias da Semana Santa e do Tríduo Pascal, podem ser “transferidas para outros dias convenientes, por exemplo, 14 e 15 de Setembro”, festas da Exaltação da Cruz e de Nossa Senhora das Dores. O decreto é assinado pelo prefeito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos (Santa Sé), cardeal Robert Sarah e pelo secretário, arcebispo Arthur Roche.