Bispo da Guarda publica nota sobre ano especial dedicado a São José

O bispo da Guarda escreveu uma nota sobre ‘Novo ano de 2021 com a especial protecção de S. José’ e explica a necessidade de “meditar na obediência à vontade de Deus” e pedir a graça das graças, que é a conversão”.“Este ano queremos meditar na obediência de S. José à vontade de Deus que se lhe revelou, entre outros sinais, através de sonhos e, com o Papa Francisco, pedir-lhe a graça das graças, que é a nossa conversão”, refere D. Manuel Felício.O Papa Francisco anunciou a convocação de um Ano dedicado a São José, para assinalar o 150.º aniversário da sua declaração como padroeiro da Igreja universal, feita pelo Beato Pio IX a 8 de Dezembro de 1870, e publicou a Carta Apostólica ‘Patris Corde’ (com coração de pai).O bispo da Guarda destaca algumas sugestões da carta do Papa para “ajudarem a viver bem o novo ano que agora começa”, como “a sua função de Pai leva-o a acompanhar e proteger, com invulgar solicitude, o Filho Único de Deus, na pessoa de Jesus e sua Mãe”.“A sua ternura de Pai manifestou-a ele com as muitas atitudes de acompanhamento e dedicação exemplares, mesmo em situações difíceis e aparentemente incompreensíveis. Diante deste seu exemplo, sentimo-nos chamados a acolher sempre os outros como eles são, sem exclusões, a começar pelos mais frágeis”, acrescentou.A partir da carta apostólica, D. Manuel Felício destaca também que a São José “não faltou coragem criativa”, para a tradição “passou a sua profissão de carpinteiro e o seu amor ao trabalho” e fica o exemplo “como verdadeiro ‘Pai na sombra’”.“O verdadeiro pai não é aquele que se mostra em demasia ou que cede à tentação de decidir pelo filho, mas aquele que sabe abrir-se à novidade e à surpresa de tudo o que possa acontecer, procurando sempre criar as necessárias condições para que seja o filho a decidir”, desenvolve a nota publicada no sítio online da Diocese da Guarda.O Papa Francisco determinou a celebração de um “Ano especial de São José”, até 8 de Dezembro de 2021, num decreto divulgado pelo Vaticano a 8 de Dezembro de 2020.