Diocese da Guarda

O Bispo da Guarda presidiu à celebração da Missa de Ramos na Paixão do Senhor, com a bênção dos ramos, no último Domingo, 28 de Março, marcando assim o início da Semana Santa, na Sé da Guarda.D. Manuel Felício convidou todos os presentes a “manter todas as cautelas” e a cumprir as orientações para travar o avanço da Covid-19. Na homília manifestou satisfação pelo regresso das celebrações comunitárias, desejando que os católicos possam, nesta Semana Santa “parar, diante dos mistérios da Páscoa”, para avaliar as suas opções de vida.“Há um ano estivemos impedidos de nos reunir em assembleia para celebrarmos os mistérios da Páscoa. Graças a Deus que a situação, este ano, é diferente. Mas não podemos baixar a guarda. Antes, pelo contrário, temos de manter todas as cautelas, cumprindo rigorosamente as regras já conhecidas e que provámos a nós mesmos e à sociedade que somos capazes de aplicar e com reconhecidos bons resultados. Confiamo-nos, por isso, durante estes dias da Celebração Pascal, à Providência de Deus e à protecção dos santos, sem deixarmos de fazer tudo o que está ao nosso alcance para não regredirmos no combate á pandemia”, disse o Bispo da Guarda. Terminou a homília pedindo que esta semana “nos ajude a parar, diante dos mistérios da Páscoa, para avaliarmos, diante da Cruz de Cristo, os percursos que estamos a fazer, neste mundo, que cada vez nos exige mais responsabilidade”.D. Manuel Felício também vai presidir às outras celebrações da Semana Santa, na Sé da Guarda, este ano com a presença física de fiéis embora “com consciência das necessárias restrições”.A missa Crismal desta Quinta-feira Santa, será às 10.30 horas, com a “renovação das promessas sacerdotais, especial acção de graças pelos jubileus de sacerdotes que perfazem 70, 60 e 25 anos de sacerdócio e bênção dos Santos Óleos” (ver página 4).A eucaristia comemorativa da Última Ceia - Quinta-feira Santa – está marcada para as 19.00 horas e depois faz-se a “adoração do Santíssimo Sacramento, recomendável até à meia-noite”.A celebração da Paixão e Morte de Cristo, na Sexta-feira Santa, dia 2 de Abril, com liturgia da Palavra, oração dos fiéis e intenção especial pelas vítimas da pandemia, adoração da Cruz e comunhão é às 17.30 horas.As celebrações na Sé da Guarda, presididas pelo Bispo da Guarda terminam com a Vigília Pascal, no Sábado Santo, a partir das 22.00 horas, onde se canta o Aleluia da Ressurreição, depois de se escutar a Palavra de Deus e a renovação das promessas do Baptismo.No Domingo de Páscoa, o Bispo da Guarda vai celebrar a Eucaristia na Covilhã, na Igreja da Santíssima Trindade, às 11.00 horas. “Celebraremos a Eucaristia Solene da Páscoa da Ressurreição, sem procissões da Ressurreição e sem visitas pascais” anuncia o Bispo da Guarda, no comunicado enviado a todos os padres e diáconos da Diocese.