Diocese da Guarda


O Secretariado Permanente do Conselho Presbiteral da Diocese da Guarda divulgou o seguinte comunicado: “Reuniu, no passado dia 13 do corrente mês de fevereiro, o Conselho Presbiteral da Diocese da Guarda. Ponto principal da agenda foi a reflexão que está em curso para preparar o próximo Sínodo dos Bispos sobre a Família. Registaram-se algumas dificuldades que os grupos de base estão a sentir quanto à compreensão das perguntas formuladas e sobretudo quanto às respostas que é preciso dar-lhes. Mas sentiu-se que é significativo o número de pessoas e grupos que estão empenhados em participar neste amplo debate sobre a família preparatório do próximo sínodo. Foi manifestado contentamento pelo facto de as grandes questões sobre a família voltarem ao debate público, por vontade expressa do Papa Francisco.
Entrando na reflexão sobre as 46 perguntas formuladas, sublinhou-se que elas desafiam a Igreja a repensar o serviço da preparação para o matrimónio e também o acompanhamento pastoral dos casais novos. Formulou-se o desejo de que o cuidado pastoral das famílias se estenda também e predominantemente às famílias em situações difíceis, nomeadamente aos divorciados recasados e àqueles que se encontram em união de facto. Também se apontou a necessidade de os tribunais da Igreja terem maior celeridade e mesmo poderem simplificar os processos de nulidade matrimonial. Chamou-se a atenção para o princípio evangélico da misericórdia como factor primeiro para tratar situações de casais constituídos mas impossibilitados de celebrar o sacramento do matrimónio; e ainda para a necessidade de valorizar cada vez mais a fé dos nubentes na celebração deste sacramento e, quando se provar que ela não existia no acto da celebração, tal possa ser considerado também uma razão de nulidade.
A reflexão continuou a apontar no sentido de que a nossa acção pastoral junto das famílias seja marcada cada vez mais pelo olhar humanista e positivo da Gaudium et Spes que há-de estar sempre acima da frieza das leis.
Foi analisado por este conselho o relatório de contas da Diocese acompanhado de um parecer previamente dado pelo Conselho Diocesano dos Assuntos Económicos. Considerou-se que o equilíbrio das contas da Diocese vai continuar a exigir muito esforço de rigor e generosidade na partilha entre pessoas e instituições. Mas também se reconheceu que o cumprimento da legislação geral canónica e da legislação diocesana consignada nas normas sobre ad­ministração das paróquias e outras pessoas canónicas devi­damente aplicadas são o caminho para garantir este equi­líbrio.
O Conselho foi informado pelo Vice-Reitor do Seminário sobre o Pré-seminário, com um grupo de candidatos que frequentam o ensino superior ou já têm diploma deste mesmo ensino superior e outro grupo dos que frequentam o ensino básico e secundário. Também foi chamada a atenção para o Dia da Igreja Diocesana, que se realizará em 30 de Maio próximo, com distribuição de algum material e informação sobre outro que chegará a seu tempo. Deu-se a conhecer que a nossa renúncia quaresmal deste ano se destina à FEC (Fundação Fé e cooperação criada pela Conferência Episcopal Portuguesa), tendo em conta a ajuda que ela nos vai dar para a valorização do Centro Missionário D. João de Oliveira Matos promovido pela Liga dos Servos de Jesus em Angola”.