Domingo de Ramos: A Comemoração da entrada do Senhor em Jerusalém deve celebrar-se dentro do edifício sagrado;

nas igrejas catedrais adopte-se a segunda forma prevista pelo Missal Romano; nas igrejas paroquiais e demais lugares, a terceira.Missa crismal: Avaliando a situação concreta em cada país, as Conferências Episcopais poderão dar indicações sobre uma eventual transferência para outra data.Quinta-Feira Santa: Omita-se o lava-pés, já de si facultativo. No final da Missa na Ceia do Senhor omita-se também a procissão e guarde-se o Santíssimo Sacramento no Sacrário. Neste dia, a título excepcional, concede-se aos Presbíteros a faculdade de celebrar a Missa sem o concurso de povo, em lugar adequado.Sexta-Feira Santa: Na Oração Universal, os Bispos terão o cuidado de preparar uma intenção especial pelos que se encontram em perigo, os doentes, os defuntos. O acto de adoração à Cruz com o beijo seja limitado apenas ao celebrante.Vigília Pascal: Celebre-se exclusivamente nas igrejas catedrais e paroquiais. Para a Liturgia baptismal, mantenha-se apenas a renovação das promessas baptismais.1