Associação Humanitária de Bombeiros da Guarda


O padre Victor Paiva Ramos, capelão da Associação Humanitária de Bombeiros da Guarda, considera que é importante olhar para os bombeiros ao longo de todo o ano e não apenas na altura dos incêndios. Em declarações à Agência Ecclesia e ao Jornal A GUARDA lembra que “os bombeiros “não podem ser esquecidos o resto do ano” porque os “incêndios florestais são uma parte reduzida da actividade dos bombeiros” que todos os dias “prestam assistência ao nível da saúde, transporte de doentes e nos acidentes”.
Vítor Paiva dá conta de que quando começam os “incêndios a chegar, sente-se a maldade humana” que “está a destruir o mundo”.
“Quando vemos os incêndios a chegar, sente-se a maldade humana que está a destruir o mundo, que devemos cuidar, tratar e amar; entramos num cenário de destruição colectiva”, referiu o sacerdote em declarações à Ecclesia.
Perante os incêndios que assolam o país, o padre Victor Paiva Ramos olha “com preocupação e algum desencanto”, uma vez que esta “tragédia” acontece todos os anos.
“Todos os anos as tragédias se vão repetindo, marcam negativamente as vidas das nossas populações e têm repercussões ao nível de bem estar de cada um”, explica.
O padre Victor Paiva, que também foi fazendo formação de bombeiro, enaltece todos os operacionais “que dão o melhor de si, deixando trabalhos e famílias”, para estarem ao serviço da sociedade.
Victor Paiva adianta que “como sacerdote temos de introduzir o factor justiça, os incêndios detêm duas fases, prevenção e repressão, e isso tem de ser olhada de forma mais intensa e cuidada, o que envolve crimes também envolve o plano moral e ético e não podemos descuidar a justiça, os que prevaricam devem ser severamente sancionados porque põem em risco vidas humanas”, aponta.
O capelão dos Bombeiros da Guarda explica que a corporação tem dado resposta a todas as ocorrências, mas todos os elementos são poucos”, além de considerar que aquela casa é uma “grande escola”.
E explica: “Esta corporação consegue ser um grande meio de envolvimento dos jovens e demonstram uma generosidade e capacidade de entrega enorme, há valores como a disciplina, o respeito, o saber estar e trabalhar em grupo, não só o factor de instrução mas ao nível de formação humana”