Iniciativa acontece, habitualmente, na Sexta-feira Santa

O peditório anual em favor das comunidades católicas da Terra Santa, que acontece habitualmente na Sexta-feira Santa, foi adiado para 13 de Setembro, devido à pandemia de Covid-19.“As comunidades cristãs na Terra Santa, também elas expostas ao risco de contágio e que, muitas vezes, vivem em contextos muito sofridos, todos os anos beneficiam da generosa solidariedade dos fiéis de todo o mundo, para poderem continuar a sua presença evangélica, além de manterem as escolas e as estruturas de assistência abertas a todos os cidadãos, em favor da educação humana, da convivência pacífica e do cuidado sobretudo dos mais pequeninos e mais pobres”, refere a nota da Congregação para as Igrejas Orientais (Santa Sé).O texto explica que o Papa aprovou a proposta de que a Coleta da Terra Santa para o ano de 2020 seja colocada no domingo 13 de Setembro, na proximidade da Festa da Exaltação da Santa Cruz (14 de Setembro).A Santa Sé convida a “adoptar” um cristão do Médio Oriente, mesmo que se não saiba o seu nome, “rezando por ele durante todo o ano de 2020”.A colecta promovida pela Santa Sé junto das dioceses de todo o mundo acontece anualmente, recolhendo donativos para as comunidades que vivem na Terra Santa e para a manutenção dos lugares ligados à vida de Jesus e ao início do Cristianismo.A manutenção dos chamados Lugares Santos, que está confiada à Custódia Franciscana, passa pela preservação dos vários monumentos que assinalam a ligação dos espaços a Jesus e os apóstolos, mas sobretudo pelo apoio às actuais comunidades cristãs – uma minoria entre muçulmanos e judeus, na Palestina e Israel.Os territórios que beneficiam de várias formas de apoio da Coleta são a Palestina, Israel, Jordânia, Chipre, Síria, Líbano, Egipto, Etiópia, Eritreia, Turquia, Irão e Iraque.Os donativos são utilizados na construção de casas, no apoio aos pobres, cuidados de saúde, apoio a refugiados e preservação dos santuários, entre outros.