Refugiados


O director da Cáritas Jordânia disse que os “mais de sete mil cristãos iraquianos” correm o risco de se tornarem sem-abrigo dentro de dois meses por falta de apoio internacional que está a originar falta de recursos financeiros. “Como Cáritas, estamos em grande dificuldade, pagamos o aluguer para as famílias cristãs, distribuímos alimentos e bens de primeira necessidade, mas dentro de dois meses as verbas destinadas a esta assistência estarão no fim”, revelou Wael Suleiman à Agência Fides.
Nessa altura, segundo o responsável, vão ter de dizer a estas pessoas que “deixem as casas e vão morar na rua”.