Galardão foi instituído em 2004

O cardeal José Tolentino Mendonça foi distinguido, por unanimidade, com o Prémio Universidade de Coimbra, no dia 25 de Fevereiro. O galardão foi atribuído esta segunda-feira, 1 de Março, na sessão solene comemorativa do 731.º aniversário da instituição.“Trata-se de uma figura ímpar, uma pessoa da cultura, com uma visão social inclusiva, que tocou muito directamente ao júri, que o nomeou por unanimidade”, realçou Amílcar Falcão, reitor da Universidade de Coimbra.Instituído em 2004, o galardão da universidade “mais antiga do país e uma das mais antigas do mundo”, que remonta aos finais do século XIII, é concedido anualmente “a uma pessoa de nacionalidade portuguesa de inequívoco valor percebido na sua área profissional - que pode ser das áreas da cultura, da economia e gestão e/ou ciência e inovação - que se distinguiu no ano transacto de forma inequívoca no apoio incondicional ao desenvolvimento das pessoas, das famílias, das empresas e das comunidades, apoiando um crescimento inclusivo e sustentável de sociedade”, refere o regulamento.O prémio, no valor de 25 mil euros, vai ser dividido em duas partes, “sendo dez mil euros para o vencedor e 15 mil euros para uma bolsa de investigação numa área que será determinada pelo vencedor”.D. José Tolentino Mendonça, que foi elevado a cardeal em 2019, é poeta, teólogo, sacerdote e professor universitário, sendo considerado uma das vozes mais originais da literatura portuguesa contemporânea e reconhecido como um eminente intelectual católico.A sua obra, já distinguida com vários prémios, inclui poesia, ensaios e peças de teatro. Tem também colaborado como tradutor e organizador em muitos outros livros.Nascido em Dezembro de 1965, em Machico, na ilha da Madeira, foi ordenado padre em 1990 e começou por exercer funções enquanto sacerdote na Paróquia de Nossa Senhora do Livramento no Funchal, entre 1992 e 1995.Entre 2004 e 2014, Tolentino Mendonça foi o primeiro director do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, então criado pela Conferência Episcopal Portuguesa, para promover o diálogo entre a Igreja e o meio cultural nacional.Em 26 de Junho de 2018, Tolentino Mendonça foi nomeado bibliotecário e arquivista da Biblioteca e Arquivo Apostólicos da Santa Sé, pelo Papa Francisco.