Médio Oriente


O bispo auxiliar do Patriarcado Latino de Jerusalém, D. William Shomali, disse, na passada semana, que a realidade em Gaza “é dramática” onde famílias perderam as suas casas e outras não têm comida, água, electricidade ou dinheiro.
“O pároco de Gaza publicou uma carta em que descreve a situação dramática. Há muito medo. As crianças estão traumatizadas, muitas famílias perderam a casa, muitas não têm comida, nem dinheiro, nem água, nem electricidade, estão debaixo dos disparos da guerra”, informou o bispo.
Três mísseis caíram junto da paróquia católica de Gaza, destruindo um edifício, e três religiosas estrangeiras do Instituto do Verbo Incarnado preparam-se para deixar o território, revela a Agência Fides, do Vaticano.
No local continuam o pároco, padre Jorge Hernandez, e as irmãs de Madre Teresa de Calcutá, que apoiam 28 crianças com deficiência e nove idosas.
Em declarações à Rádio Vaticano, D. William Shomali, destacou as palavras e as iniciativas do Papa Francisco que alertou para os “acontecimentos trágicos” deste conflito e faz apelos contínuos à paz e à oração. “São palavras certas que continuam a mensagem pela paz lançada durante a sua visita à Terra Santa, mas também a oração nos Jardins do Vaticano. O seu discurso daquele momento, verdadeiramente histórico, permanece válido”, desenvolveu o prelado.
“O Papa permanece confiante que o Senhor pode transformar os corações, porque o problema é sobretudo de boa vontade”, acrescentou o bispo auxiliar do Patriarcado Latino de Jerusalém. Israel e o movimento islâmico Hamas chegaram a acordo sobre um cessar-fogo em Gaza, anunciou um responsável israelita que pediu o anonimato.
Desde o início da operação israelita em resposta ao disparo de mísseis a partir da Faixa de Gaza, controlada pelos fundamentalistas do Hamas, morreram mais de 230 palestinos.