João Baptista ficou conhecido como o arauto e o precursor do Messias, o último dos profetas,

cuja missão consistia em preparar os homens para acolherem o Filho de Deus. Desempenhou esta missão através da pregação e da acção.
Pela sua pregação, João Baptista anunciava a vinda ao mundo do Enviado de Deus, o Salvador cuja salvação só podia ser acolhida por quem primeiro se convertesse e abandonasse o caminho do pecado.
Pela sua actividade, permitia concretizar esta mudança radical de vida através do rito do baptismo, no qual, imergindo nas águas do rio Jordão e delas emergindo, se simbolizava não só a purificação do pecado, mas também o início de uma vida nova.
Pela sua pregação, João declarava também que Aquele que estava para vir era alguém forte, (“mais forte do que eu”), grande (“a quem não sou digno de desatar a correia das sandálias”) e superior (“Eu baptizo na água, mas Ele baptizar-vos-á no Espírito Santo”).
Jesus é Aquele que é grande e superior porque é o Filho de Deus. “Este é o meu Filho muito amado” declara a voz do Pai, no momento do Baptismo. E é forte porque toda a sua vida e missão decorrem sob a acção do Espírito Santo: “o Espírito, como uma pomba, desceu sobre Ele”.
Todo o mistério da pessoa e da missão de Jesus só se compreendem à luz do seu Baptismo. Ali está o seu programa de vida.
Toda a sua mensagem de justiça e perdão, todos os encontros com os pecadores, todos os milagres e curas, todos os seus gestos de misericórdia são sinais desta vida nova que o Baptismo antecipava.
Além de chave de leitura da sua vida e missão, o Baptismo é também o símbolo da sua morte e ressurreição.
Ao fazer-Se Homem, Jesus assumiu até ao extremo a nossa condição humana, humilhando-se até à morte e morte de cruz. Mergulhou nas águas da morte para delas ressurgir, e com Ele nos fazer renascer para uma vida nova e eterna. “Quando saiu das águas, viu os céus rasgarem-se”. Quando, ressuscitado, saiu das águas da morte, os céus rasgaram-se também para a humanidade.
Eis porque Jesus é forte e grande, como declarou João Baptista. Pela força do amor, a única capaz de derrubar o muro do pecado e da morte; com a grandeza própria de quem é capaz de se fazer pequeno e solidário com os homens frágeis e doentes, a fim de os libertar.
Para Jesus como para os cristãos, o Baptismo encerra em si um programa de vida: em Cristo, filhos muito amados, sobre quem repousa o Espírito Santo, a fim de lutarmos, pela força do amor, contra todas as formas de pecado e de morte que nos cercam.