Entre margens da Palavra


0. Preparo-meProcuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.
1. O que diz o texto- Leio pausadamente Mc 10, 35-45.- Sublinho e anoto o mais significativo.Dois apóstolos solicitam Jesus. Querem os melhores lugares junto d’Ele. Isso implica receber o “batismo” e “beber o cálice” de Jesus, isto é, partilhar o seu destino: servir e dar a vida.
2. O que me diz Deus- Imagino-me entre os discípulos de Jesus. Que me dizem as suas palavras? Jesus sobe para Jerusalém. Pela terceira vez, anuncia a sua morte. Como os apóstolos, prefiro sonhar com grandezas, desejando lugares de destaque. Ora a glória de Jesus passa pela cruz. À sua “direita e esquerda”, estarão dois malfeitores, perante a deserção dos Doze. Como outrora, Jesus não se indigna. Aproveita a ocasião para novo ensinamento: não me devo referenciar pelos poderosos deste mundo, mas pela humildade do Mestre que serve e dá a vida. Disponho-me a isso? Só se cresce elevando os outros.
3. O que digo a Deus- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).Senhor, falas em caminho, árduo e exigente, enquanto eu pretendo assento, bom e de relevo. Não basta o entusiasmo de crer em Ti. Facilmente me contagio pela ambição humana de sucesso. Ignoro, ou finjo não perceber, que ser teu discípulo implica outro rumo. Ajuda-me a perceber que “tudo posso, mas nem tudo é conveniente” (1Cor 6,12). Imploro-Te: sê paciente comigo.Diante de Ti, identifico e avalio o que, secretamente, anseio. Purifica-me o desejo. Aponta-me horizontes, onde não me busque apenas a mim mesmo.Ensina-me, outra e outra vez, que a verdadeira glória está em dar a vida pelos outros, servindo-os, amando-os. Fixa meu olhar sobre Ti. Só Tu és digno de ser seguido e imitado, no teu exemplo de desprendimento. 
4. O que a Palavra faz em mim- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.Senhor, quero estar a teu lado, do teu jeito. Por seres modelo de serviço, louvo-Te e agradeço. Por me dares a vida, contemplo e adoro-Te.Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.
PROVOCAÇÕES- As minhas aspirações coincidem com as de Cristo?- Sirvo com alegria ou gosto de ser servido?- O que significa, para mim, estar ao lado de Jesus?
UM PENSAMENTO“Quem não vive para servir, não serve para viver.” (Mahatma Gandhi)
UM DESAFIOPedir ao Espírito Santo a graça de dar a vida, servindo.
ARQUIVO & PODCASThttps://seminariointerdiocesanosj.pt
UMA ORAÇÃO-POEMA
Desimpedidos os passos até TiDesbloqueia-se a auscultação interiorDesembacia-se a visão do peitoDesobstruindo-se a válvula do afeto.Despojado da servil aparênciaDesprendo-me da auto-miragemDesobrigado de bem parecer Desinstalo as farsantes seguranças.Desembaraçado dos medosDesbravo a floresta de sentimentosDespeço os tóxicos pensamentosDespedindo o arrogante orgulho.Descomprometo-me de ídolosDesamarrando doces tentaçõesDispensado de tributar vícios.Disponível, por fim, me tornopara servir e dar a vida… como Tu.