A abertura do espaço ExpoEcclesia, na capela do antigo Seminário e Paço Episcopal,

na Guarda, estava anunciada para esta quarta-feira, 13 de Julho. Do programa fazia parte o lançamento do vade-mécum Roteiro das Beiras e Serra da Estrela (traduzido em espanhol, Inglês e francês), a experiência virtual numa atmosfera imersiva, através de recurso a multimédia 2D e 3D, sobre a História da Diocese da Guarda e Património de Arte Sacra, bem como a inauguração da exposição temporária Mulier Mater Magistra.
Há muito que a Guarda, não só cidade e concelho mas também toda a diocese, aguardava por este momento. O vasto e riquíssimo património religioso, seja ele arquitectónico, documental, artístico ou cultural, merece e deve ser divulgado e conhecido.
A ideia de criar um núcleo central que encaminha os visitantes para os diversos lugares desta vasta região, que abarca localidades dos distritos da Guarda, Castelo Branco e Coimbra, parece bem ajustada e pode mesmo criar novas dinâmicas de desenvolvimento.
O grande desafio passa agora por criar formas de colaboração com os organismos ligados às paróquias e também aos municípios de maneira a dar maior visibilidade a todo o território.
De acordo com os promotores, as visitas à ExpoEcclesia são gratuitas, mas não deixaria de ser interessante a coordenação com as entradas na Sé e, porque não, no Museu da Guarda. Hoje, mais do que nunca, o trabalho em rede é importante e necessário. Todos somos poucos para dar maior visibilidade a um território tão vasto e tão rico mas também tão esquecido.