Um dia dedicado aos Museus

O mês de Maio é fértil em efemérides, entre as quais o Dia Internacional dos Museus que este ano tem como tema “O futuro dos museus: recuperar e reimaginar“.Celebrado anualmente a 18 de Maio, este dia foi criado em 1977 pelo Conselho Internacional de Museus, com o objectivo de promover na sociedade uma reflexão sobre o papel dos museus no seu desenvolvimento.A escolha do tema para 2021 foi motivada pela realidade associada à actual pandemia que começou em 2020 e ainda afecta toda a humanidade. A crise associada à Covid-19 influenciou todos os aspectos da vida em sociedade e o sector da cultura acabou por ser dos mais prejudicados. Apesar de todas as contingências, esta crise acabou por contribuir para promover algumas inovações que já estavam em curso, nomeadamente o processo de digitalização e a criação de novas formas de experiência e difusão culturais. Na Guarda, o Arquivo Diocesano, em colaboração com o Arquivo Distrital, está a dar alguns passos muito significativos nesse sentido. Era importante repensar a relação deste espólio arquivístico com o mundo da investigação. Também  aqui há a necessidade de avançar com novas propostas bem estruturadas de maneira a tornar acessíveis documentos únicos que ajudarão a compreender melhor a história e a vida da região não só em termos eclesiásticos, mas também sociais, culturais e patrimoniais.  O tema “O futuro dos museus: recuperar e reimaginar“ desafia “os museus, os seus profissionais e as comunidades a criar, imaginar e partilhar novas práticas de (co)criação de valor, novos modelos de negócio para as instituições culturais e soluções inovadoras para os desafios sociais, económicos e ambientais do presente”.A Guarda tem condições únicas para se tornar referência nacional em termos arquivísticos e museológicos, através da criação de um sistema em rede que envolva instituições e estruturas físicas.