A Semana dos Seminários, que este ano acontece de 10 a 17 de Novembro,

é apresentada pela Comissão Episcopal das Vocações e Ministérios como uma ocasião para “animar os jovens” e “reflectir na centralidade da questão vocacional e para um renovado compromisso”.
O documento refere que “é oportunidade para animar os jovens que fazem parte dos vários seminários do nosso país e reconhecer o precioso trabalho das equipas formadoras e de todos os que colaboram na vida dos seminários”.
Longe vão os tempos em que os Seminários, onde se incluem os da Diocese da Guarda (Fundão e Guarda) eram autênticas escolas de vida, onde ao estudo se juntava a oração, camaradagem, convívio, desporto e cultura. O despovoamento das aldeias, que provocou o encerramento de escolas, acabou por ditar o fim de instituições seculares que tiveram um papel determinante na formação de tantas gerações de adolescentes e jovens destas terras do interior.
O facilitismo e o aparecimento de novas propostas fazem com que as actuais gerações tenham mais dificuldade em optar pela frequência dos Seminários como estabelecimentos de ensino e discernimento. A Comissão Episcopal das Vocações e Ministérios também dá conta que é cada vez mais complicado escutar e entender o “chamamento atractivo e fascinante” de Jesus pelos jovens porque são “bombardeados por uma variedade de estímulos e uma multiplicidade de propostas geradoras de muito ruído e dispersão”.
Ao olharmos para a realidade da Diocese da Guarda damos conta destas e outras dificuldades, no momento de motivar os mais novos para uma possível frequência do Seminário. Os números não enganam, falam por si. Há apenas três jovens a fazer a caminhada vocacional e muito longe da cidade mais alta que há muito deixou de ter capacidade para, por si só, manter o Seminário como estabelecimento de ensino.
Apesar de tantas mudanças, o Seminário continua a ser apresentado como o tempo indispensável para que o percurso de discernimento seja devidamente acompanhado, pessoal e comunitariamente.
Para celebrar de forma mais próxima das comunidades esta Semana dos Seminários, os diversos materiais e subsídios foram preparados pela Diocese de Aveiro. Para além do cartaz e da mensagem, existem um guião, uma pagela de oração, os mistérios do terço e a sugestão de uma vigília de oração, preces para a Oração Universal nas Missas e actividades dedicadas à infância, para os adolescentes e para os jovens, bem como um hino.
O material está pronto, mas só isso não chega, é preciso meter mãos à obra para que também as actuais gerações se deixem cativar por propostas de vida diferentes e radicais.