1 Na última semana, o Comando Territorial da GNR da Guarda pediu a colaboração da Diocese para que os Padres ajudem as autoridades a sensibilizar as pessoas para a necessidade da limpeza dos terrenos junto dos aglomerados populacionais e das habitações.

O pedido foi divulgado esta segunda-feira pelo Bispo da Diocese, no final da recolecção do Clero, no início da Quaresma. A avaliar pela reacção dos padres presentes, a informação há muito tempo que está a ser espalhada, principalmente nas zonas rurais onde há cada vez menos população.
As pessoas têm sido alertadas para a obrigatoriedade da lei, em relação à limpeza de uma faixa de gestão de combustível à volta dos aglomerados populacionais e junto das habitações isoladas e das vias de comunicação.
Olhando para o interior do País, cada vez mais despovoado, haverá sérias dificuldades em dar cumprimento a uma lei que, na maior parte das vezes, é ignorada pelo Estado. Onde estão as anunciadas equipas de sapadores? O que é feito dos vigilantes florestais? Para quando a limpeza das bermas das estradas e dos caminhos rurais? Não basta pedir aos outros, é preciso dar o exemplo. Apesar deste desfasamento na forma de agir, parece existir sede de caça à multa, com uma coima mínima de 280 euros, para os incumpridores.

2 Olhando para o panorama nacional, e longe de afinidades clubísticas, é de realçar a posição firme do Sindicato dos Jornalistas relativamente ao apelo do presidente do Sporting, para que os adeptos do clube de Alvalade boicotem a comunicação social. Tal atitude foi considerada uma tentativa de limitar a liberdade de imprensa e condicionar o trabalho dos profissionais.
O pedido para os adeptos deixarem de comprar jornais e de ver os canais de televisão portugueses, excepto a Sporting TV, gerou confusão e ameaças aos jornalistas.
O Sindicato lembra que os dirigentes desportivos têm uma grande responsabilidade em garantir que o desporto contribua para o bem-estar social e não para alimentar climas de ódio e perseguição. Por vezes, a sede de poder esbarra na falta de tolerância e no desprezo dos outros.

3 O padre e poeta português, José Tolentino Mendonça, está a orientar o retiro da Quaresma do Papa Francisco e dos seus colaboradores mais directos, com reflexões sobre “sede e desejo de Deus”, a partir do tema geral “Elogio da sede”.
A poesia de Emily Dickinson, Fernando Pessoa, Clarice Lispector, Antoine de Saint-Exupéry e Tonino Guerra, serviu de inspiração às reflexões que o consultor do Conselho Pontifício da Cultura (Santa Sé) preparou para estes dias de retiro quaresmal do Papa Francisco.
Especialista em Estudos Bíblicos, José Tolentino Mendonça tem mais de duas dezenas de livros publicados. Além de ensaísta, tem uma obra poética entre as mais marcantes do panorama actual. O livro “A Mística do Instante” foi galardoado com o Prémio literário Res Magnae 2015, um prémio italiano atribuído no campo da ensaística. Em 2016 a sua obra de cronista foi distinguida com o prémio APE e a sua obra poética com o Prémio Teixeira de Pascoaes.