Em Portugal, o mês de Junho também é conhecido como o mês dos santos populares.

Ao longo dos tempos, o povo habituou-se a celebrar, de forma festiva, a memória de alguns santos pelos quais tem uma predilecção especial. Em muitas situações, o religioso deu lugar ao profano, onde as manifestações culturais e gastronómicas são a única referência.

Crentes e não crentes, agnósticos e ateus comem e bebem, dançam e pulam, em nome de um Santo que dá nome a mais um evento cada vez mais esquecido nas suas origens. As festas e arraiais multiplicam-se por todo o país nas noites de Santo António (12 para 13 de Junho), de São João (de 23 para 24 de Junho) e de São Pedro (29 de Junho), que também é de São Paulo mas que nunca é referenciado.

As sardinhas, pimentos, enguias, caldo de grão ou caldo verde, o vinho e pão, são alguns dos ingredientes que não podem faltar nas noites ditas dos santos populares. O rosmaninho e a bela-luz dão cheiro às tradicionais fogueiras que, para os antigos, serviam para sarnar os males do corpo e do espírito. Aqui e ali, há inovações que vão sendo introduzidas a pensar na diversão e no retorno económico.

Na Guarda, a tradição está mais virada para São João que, desde outrora, dá nome à maior feira anual do burgo. Noutros tempos um só dia não chegava para tão grande acontecimento. Os bailaricos animavam os bairros da cidade e atraiam grande número de forasteiros. A animação reinava na cidade e o povo não se cansava de sair à rua.

Com o passar do tempo a tradição esmoreceu e a Feira de São João deixou de ser o que era. Também neste ponto as vontades se mudaram com os tempos. A feira ficou confinada ao dia 24 de Junho e perdeu o encanto que a caracterizava. Em boa hora, a Câmara Municipal deitou mãos a um projecto que já tinha algum trabalho por detrás e avançou com os “Santos do Bairro” a que associou marchas e bonecas de cristal sem esquecer o bailarico e a fogueira.

Mas no meio de tudo isto, onde fica São João? Que São João celebra o povo neste mês de Junho? No dia 24 de Junho, a Igreja celebra a Solenidade do Nascimento de São João Baptista, o Precursor do Senhor. Um acontecimento que o povo simples aprendeu a viver na alegria.