“Numa época em que se revela cada vez mais sofisticada a falsificação, atingindo níveis exponenciais,

precisamos de sabedoria para patrocinar e criar narrações belas, verdadeiras e boas”, escreve o papa Francisco na mensagem para o 54.º Dia Mundial das Comunicações Sociais, que foi apresentada no dia de São Francisco de Sales, 24 de Janeiro, patrono dos jornalistas.O texto que vai servir de referência ao Dia Mundial das Comunicações que este ano acontece a 24 de Maio, tem como tema “Para que possas contar e fixar na memória. A vida faz-se história”, centrando-se no papel central que a “narração” tem na história do ser humano.Num tempo marcado pelo efémero dos acontecimentos, as boas notícias passam despercebidas e muitas vezes são abafadas pelo ruído de quem tem mais poder e tempo de antena.A Mensagem para o Dia Mundial das Comunicações Sociais chama a atenção para o facto de quase não nos darmos conta de “quão ávidos nos tornamos de bisbilhotices e intrigas, de quanta violência e falsidade consumimos”, adverte.O documento lembra que a comunicação gere, cada vez mais, “histórias devastadoras e provocatórias”, quando se “misturam informações não verificadas, repetem discursos banais e falsamente persuasivos”, levando a “proclamações de ódio”.Hoje mais do que nunca “precisamos de coragem para rejeitar as falsas e depravadas. É necessária paciência e discernimento para descobrirmos histórias que nos ajudem a não perder o fio, no meio das inúmeras feridas de hoje; histórias que tragam à luz a verdade daquilo que somos, mesmo na heroicidade oculta do dia-a-dia”.Perante a “confusão das vozes e mensagens” fica o convite para que todos saibamos “respirar a verdade das histórias boas”. Faz parte do estatuto editorial do Jornal A GUARDA defender os valores humanistas e de promoção da solidariedade social, que com toda a sua acção, contribuam para a edificação do bem comum.