Regresso à normalidade

Um Ano Especial dedicado à encíclica ‘Laudato Si’, em especial durante o ‘Tempo da Criação’, de 1 de Setembro a 4 de Outubro, é o grande desafio lançado a todas as pessoas de boa vontade, numa altura em que se tudo parece voltar á normalidade, depois de muitas semanas de confinamento, devido à pandemia provocada pelo Covid-19. 
O Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral explica que o ‘Tempo da Criação’ é um mês de oração e acção ecuménica, entre o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação, a 1 de Setembro, e a Solenidade de São Francisco de Assis, no dia 4 de Outubro. Trata-se de um evento anual que incentiva a oração e acção pela nossa casa comum que precisamos de continuar a cuidar com todas as forças. A acção humana continua a provocar feridas profundas na Terra que é a nossa casa, devido ao açambarcamento de recursos que precisam de ser mais poupados e partilhados. 
“Como a trágica pandemia do coronavírus nos demonstra, só unidos e cuidando dos mais frágeis podemos vencer os desafios globais” lembrou o papa Francisco que pede um olhar atento e permanente para os mais frágeis e esquecidos da sociedade, que são também os que mais sofrem no rescaldo de uma pandemia que atingiu toda a humanidade. 
O lançamento de um ano especial para “chamar a atenção para o grito da terra e dos pobres”, no contexto dos cinco anos da encíclica ecológica e social ‘Laudato Si’, do Papa Francisco, deve ser encarado como um desafio de todos. Até 24 de Maio de 2021 há um compromisso particular de todas as pessoas de boa vontade no sentido de não se deixar ninguém para trás, seja qual for a sua condição social. Só assim, o Mundo poderá regressar à tão desejada normalidade, em que o medo possa dar lugar à esperança.  
Olhando para o interior da Igreja, e depois de várias semanas de confinamento, chegou o momento de novos desafios. Deste tempo é preciso aproveitar e melhorar as boas experiências de comunicação e evangelização que foram acontecendo um pouco por todos os lugares. Mas também é tempo de descer à terra, deixando para trás um tipo de religião/espectáculo/folclore que foi tomando conta de muitas comunidades. Também neste ponto é importante saber utilizar bem os recursos existentes.