Os desafios do Presidente reeleito

Portugal foi a votos e não quis enveredar em novas aventuras, dando a vitória a Marcelo Rebelo de Sousa, de forma clara e inequívoca. Se dúvidas houvesse, rapidamente se dissiparam nas primeiras projecções das sondagens que apontavam a reeleição logo à primeira volta. E, tal como tinha sido previsto, assim aconteceu.Marcelo Rebelo de Sousa apresentou-se como Presidente de Todos os Portugueses, mostrando preocupação com os números elevados e nefastos da pandemia que tem o País em Estado de Emergência. Vencer a pandemia provocada pela Covid19, será, sem dúvida, o primeiro desafio deste novo mandato presidencial. Consciente do momento grave e trágico que o País atravessa, Marcelo Rebelo de Sousa apresentou-se sem euforia, nem apoiantes. Não tivessem sido os profissionais da comunicação social e a reeleição como Presidente da República teria passado para segundo plano.  A situação actual do País é de tal forma preocupante que o Presidente reeleito começou o discurso de vitória com os números da covid-19, dedicando o primeiro pensamento às vítimas da pandemia. “Profundamente honrado” com a confiança que os portugueses lhe deram prometeu fazer mais e melhor e deixou a garantia de que será “Presidente de todos e de cada um dos portugueses”, “respeitando o pluralismo e as diferenças”, sem nunca desistir da justiça social.Marcelo Rebelo de Sousa tem pela frente cinco anos desafiantes em termos sociais, económicos, políticos, culturais e também religiosos. Ajudar o Governo a vencer a pandemia será, sem dúvida, a primeira grande batalha que continuará na recuperação económica de um País bastante dividido nas opções políticas. Nesta caminhada, e a avaliar com o que aconteceu em situações idênticas noutras nações, a Jornada Mundial da Juventude, em 2023, poderá ser um pequeno grande passo, no ambicionado restabelecimento da confiança dos portugueses. Esta foi também uma das razões da recandidatura de Marcelo Rebelo de Sousa.